Redes Sociais

Europa

Após várias ameaças, Turquia abre fronteiras para imigrantes sírios irem para a Europa

Uma fonte do governo disse que a Grécia está em contato com a União Europeia e a Otan.

Thaís Garcia

Publicado

em

Reuters

A Turquia abriu suas fronteiras e não impedirá mais os sírios que querem ir para a Europa. O governo turco espera um novo e grande fluxo de imigrantes da Síria.

Cerca de 1 milhão de pessoas já estão passando pelas fronteiras para o lado turco. No total, a Turquia abriga mais de 4 milhões de imigrantes sírios.

A medida pressiona o acordo de refugiados que a Turquia e a UE concluíram em 2016, no qual Ancara prometeu barrar os migrantes. Ambas as partes concordaram que todos os migrantes que chegassem à Grécia poderiam ser devolvidos. Para cada migrante retornado, a Europa enviaria outro migrante sírio para a UE. Pela recepção de mais de 3,5 milhões de imigrantes na Turquia, a UE paga 1,5 bilhão de euros por ano em troca.

Um dos “padrinhos” desse acordo, o austríaco Gerald Knaus, do think tank da ‘European Stability Initiative’, disse nessa sexta-feira (28) que uma conferência internacional sobre refugiados da Síria e um acompanhamento do acordo UE-Turquia são “urgentemente necessários”.

O ditador turco Erdogan ameaçou repetidamenteabrir os portões da Europa“, depois que a UE criticou a invasão turca da Síria no outono passado.

Fronteira grega

A Grécia está reforçando os controles na fronteira com a Turquia agora que a Turquia não está mais impedindo os imigrantes sírios que querem ir para a Europa.

Uma fonte da polícia disse que as patrulhas terrestres e marítimas dobraram e que foi feito um pedido geral de maior preparação.

“Tudo está sob controle, não há motivo para preocupação”, disse esta fonte.

Uma fonte do governo disse que a Grécia está em contato com a União Europeia e a Otan após os recentes desenvolvimentos no Idlib sírio.

A polícia, a guarda costeira e os guardas de fronteira foram ordenados a manter as fronteiras fechadas, relatou a agência de notícias Reuters.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »
alan correa criação de sites