Redes Sociais

Grécia

Primeiro-ministro grego adverte Erdogan da Turquia contra “ameaçar europeus com inundação de migrantes”

Thaís Garcia

Publicado

em

Primeiro-ministro grego adverte Erdogan da Turquia contra "ameaçar europeus com inundação de migrantes" 16
Imagem: Colagem/iStock

O primeiro-ministro conservador da Grécia, Kyriakos Mitsotakis, advertiu o ditador turco Erdogan contra a ameaça feita à Europa, de “abrir os portões” e permitir que milhões de migrantes invadissem a Europa.

As palavras de Erdogan foram pronunciadas, em meio às crescentes tensões entre a Turquia e os Estados Unidos, em virtude dos atrasos na criação de uma “zona segura”, na Síria.

“Nosso objetivo é que pelo menos 1 milhão de nossos irmãos sírios retornem à zona segura, que formaremos ao longo de nossa fronteira de 450 km”, disse Erdogan durante um discurso em Ancara, na última quinta-feira (5). O ditador turco pediu ao governo europeu apoio logístico, para construir moradias a 30 km da fronteira turca, no norte da Síria.

Erdogan então ameaçou a Europa: “Ou isso acontece, ou caso contrário, teremos que abrir os portões”.

A Turquia alega que gastou US $ 35 bilhões, com o recebimento de cerca de 4 milhões de refugiados sírios, sob seu atual acordo com a UE.

Em resposta à declaração, o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, disse no domingo (8): “A Turquia não deve pressionar a Grécia ou a Europa, enquanto tenta obter apoio para seu plano de reinstalar refugiados que chegam do norte da Síria”.

“Sr. Erdogan deve entender que não pode ameaçar a Grécia e a Europa, na tentativa de garantir mais recursos para lidar com os refugiados”, disse Mitsotakis, em entrevista coletiva na cidade grega de Thessaloniki.

Não é a primeira vez que Erdogan ou membros proeminentes do atual governo turco ameaçam inundar a Europa com migrantes.

No mês passado, o ministro do Interior turco, Süleyman Soylu, disse: “Estamos enfrentando a maior onda de migração da história. Se abrirmos as comportas, nenhum governo europeu poderá sobreviver por mais de seis meses. Aconselhamos que não testem a nossa paciência ”.

 

Com informações, Voice of Europe e Reuters.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites