Redes Sociais

Mundo

Erdogan ameaça inundar a Europa com 3,6 milhões de migrantes devido a críticas sobre a invasão turca na Síria

Thaís Garcia

Publicado

em

Erdogan ameaça inundar a Europa com 3,6 milhões de migrantes devido a críticas sobre a invasão turca na Síria 19
Imagem: AFP

Pela segunda vez, o presidente turco, Recep Erdogan, ameaçou inundar a Europa com 3,6 milhões de migrantes que vivem na Turquia, se os países europeus se referirem à invasão turca da Síria como uma “ocupação”.

“Vamos abrir os portões e enviar 3,6 milhões de refugiados para o lado de vocês”, disse Erdogan durante um discurso aos legisladores do seu partido, AK, nesta quinta-feira (10), segundo a Reuters.

As palavras de Erdogan vêm em resposta a uma declaração divulgada no dia anterior pela UE, que pedia “que a Turquia colocasse um fim a uma ação militar unilateral” no nordeste da Síria.

Além disso, o líder turco também ficou furioso com as duras críticas da União Europeia aos planos turcos de criar uma chamada “zona segura” no território curdo que os turcos planejam tomar. O bloco disse repetidamente que a reinstalação forçada de refugiados e migrantes na Turquia não “satisfaria os critérios internacionais de retorno de refugiados, conforme estabelecido pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR)”.

A União Europeia também teme que a Turquia tente garantir que não haja mais curdos na área próxima à fronteira com o nordeste da Síria.

“Qualquer tentativa de mudança demográfica seria inaceitável. A União Europeia não fornecerá assistência de estabilização ou desenvolvimento em áreas onde os direitos da população local estão sendo ignorados ”, acrescentou o comunicado da UE.

As críticas internacionais à invasão turca tomaram grandes proporções. Além dos vários estados membros da UE, outros como Índia, Egito, Israel, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Arábia Saudita também emitiram notas de condenações à invasão turca.

Não é a primeira vez que Erdogan ameaça inundar a Europa com milhões de migrantes. No mês passado, Erdogan ameaçou “abrir os portões” para permitir que os migrantes sírios deixassem a Turquia e fossem para os países europeus, a menos que uma “zona segura” dentro da Síria, devastada pela guerra, seja estabelecida muito em breve.

Semanas antes, o ministro do Interior turco, Süleyman Soylu, disse: “Estamos enfrentando a maior onda de migração da história. Se abrirmos as comportas, nenhum governo europeu poderá sobreviver por mais de seis meses. Aconselhamos que não experimentem a nossa paciência”.

Migração do Oriente Médio
Atualmente, existem cerca de 3,6 milhões de migrantes – a maioria do Iraque, Síria e Afeganistão – que estão sendo recebidos pelo governo turco. Esses migrantes, junto com outros milhões que ainda vivem no Oriente Médio devastado pela guerra, todos gostariam de ir para a Europa.

O único impedimento que está no caminho destes é a Turquia. Se as “comportas forem abertas”, as consequências da crise migratória irão se agravar ainda mais.

Fonte: Voice of Europa e Gate Stone Institute.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites