Redes Sociais

China

Huawei sofre novas acusações de roubo de segredos comerciais nos EUA

Guilherme L. Campos

Publicado

em

Nesta quinta-feira (13) a companhia de tecnologia chinesa Huawei e duas de suas subsidiárias foram acusadas de novos crimes pelos Estados Unidos. Promotores federais de Nova York acusam agora a chinesa de extorsão e roubo de segredo comerciais.

Segundo os promotores, a Huawei e suas subsidiárias estão há décadas empreendendo esforços para roubo de propriedade intelectual de empresas americanas de tecnologia. Ainda de acordo com os promotores, a empresa foi bem sucedida ao longo dos anos no roubo de propriedade intelectual quanto a tecnologias relacionadas com robótica, antenas de celular e códigos-fonte de roteadores de internet. O roubo teria dado vantagem competitiva à empresa, que cortou custos e economizou tempo de desenvolvimento.

Em nota, a Huawei disse que as novas acusações são injustas e infundadas e que não espiona à serviço de governo algum, o que é uma contradição, uma vez que a Lei de Inteligência Nacional da China determinou em 2017 que todas empresas e cidadãos chineses são obrigados a fornecer informações ao Partido Comunista Chinês dentro ou fora da China sempre que solicitadas.

O que agrava ainda mais as suspeitas crescentes contra a Huawei no ocidente é que o seu fundador e CEO, Ren Zhengfei, um ex-militar do Exército de Libertação Popular da China, é também membro ativo do Partido Comunista Chinês.

Não é de hoje que grandes suspeitas rondam a Huawei. Diversos processos existem em todo o mundo contra a companhia e algumas condenações já são realidade. Até mesmo a filha do fundador da empresa, Meng Wanzhou, chegou a ser presa no Canadá no fim de 2018 a pedido dos EUA por violação às sanções contra o Irã.

Um outro executivo da Huawei também foi preso no começo de 2019 na Polônia, país que defende o banimento total da empresa na Europa. O ministro para assuntos internos da Polônia Joachim Brudzinski chamou na ocasião a União Europeia e Otan para trabalharem em uma proposta que possa banir a Huawei da região.

Diversos países já restringiram o acesso a equipamentos da gigante chinesa. Austrália e Nova Zelândia já a baniram do país, e nos EUA e Reino Unido, algumas operadoras já restringiram o uso de equipamentos e tecnologia da companhia.

Em todos os casos a suspeita é sempre acerca de espionagem e roubo de segredos comerciais.

A preocupação dos EUA agora é com a implantação da tecnologia 5G da Huawei no país, o que vem sendo tratado pelo governo americano como questão de segurança nacional.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Católico, Conservador, Correspondente Internacional, Observador Político e criador do 'Direto da América'. Atualmente vive no estado da Pensilvânia, Estados Unidos.

alan correa criação de sites