Redes Sociais

Estados Unidos

Caso James Yonger: Juíza reverte decisão e dá exclusivamente à mãe, que deseja transformar filho de 8 anos em menina, os direitos de decisões médicas

“Se trata da agenda ativista LGBT atingindo o próximo nível nos EUA. Eles estão experimentando ativamente as crianças do Texas”

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução/Twitter

Na contínua saga legal do Caso James Younger, uma juíza do Texas, nos EUA, retirou, na segunda-feira (10), os direitos do pai no que diz respeito ao bem-estar do filho. O LifeSite News informou que o pai, Jeffrey Younger, perdeu os direitos aos cuidados médicos, psicológicos e psiquiátricos de seu filho. A juíza deu esse poder exclusivamente à mãe de James, a Dra. Anne Georgulas.

Como o Conexão Política noticiou anteriormente, o pequeno James está no meio de uma batalha legal entre seus pais que ganhou as manchetes internacionais em 2019, depois que foi revelado que a mãe do menino pretendia publicamente fazer a “transição de sexo” do menino para uma menina, contra a vontade do pai. Até mesmo o pequeno James, de oito anos, estava em conflito com a transição.

Leia mais sobre o caso: “Tempos muito sombrios”: Júri decide contra pai que tenta impedir ex-mulher de transformar seu filho em uma menina

No ano passado, a hashtag #SaveJamesYounger se tornou viral no Twitter quando o senador republicano Ted Cruz, o deputado americano Dan Crenshaw, o governador texano Greg Abbott e o procurador-geral Ken Paxton comentaram o caso do menino.

A decisão de segunda-feira (10), da juíza Mary Brown, reverte a decisão da juíza Kim Cooks, de outubro de 2019, que incluía ambos os pais na tomada de decisões médicas conjuntas para James e seu irmão Jude.

A mãe agora tem autoridade exclusiva para matricular James na escola como menina, chamada “Luna”, e submetê-lo a procedimentos médicos “transexuais”. Documentos judiciais mostram que o pai, Jeffrey Younger, queria tirar os dois meninos da escola pública e ensiná-los em casa, através do homeschooling, de acordo com LifeSite News.

Os advogados da mãe entraram com uma moção para substituir a juíza Cooks em novembro do ano passado, depois que Cooks, em uma postagem no Facebook, compartilhou um artigo do The Dallas Morning News, escrevendo: “O governador nem qualquer legislatura tiveram qualquer influência sobre a Decisão do Tribunal”.

A moção da mãe Georgula foi concedida e Cooks foi afastada do caso em dezembro.

Leia também: Caso James Younger: Juíza é removida do caso em que pai luta para impedir que ex-mulher transforme filho de 7 anos em menina

De acordo com a página “Save James” do Facebook, uma página administrada por pessoas interessadas no caso, tanto Jeffrey Younger, quanto Georgulas e os meninos, serão obrigados a fazer aconselhamento familiar que custará ao pai US $ 5.000 por mês, além de US $ 10.000 de retenção para um conselheiro. Embora o pai seja obrigado a pagar pelo aconselhamento, ele não terá voz na escolha do conselheiro.

A decisão da juíza Brown foi tomada sem a audiência marcada para segunda-feira. A juíza não explicou por que ela emitiu a ordem sem uma audiência.

Uma audiência de prova especial está marcada para setembro para revisar os pedidos atuais de Brown, de acordo com a página “Save James” do Facebook.

Abuso emocional e sexual

Segundo a conta de Facebook do pai, Jeffrey Younger, o menino James tem orgulho de ser homem.

O pai disse que está simplesmente procurando os melhores interesses de seu filho James, que se identifica como menino quando está com ele e só manifesta interesse em feminilidade quando está perto de sua mãe.

“Quando James está comigo, ele não mostra sinais de querer ser uma garota quando tem a opção. Mesmo quando em companhia feminina, longe de mim, James rejeita uma expressão do sexo feminino”, escreveu o pai de James em seu site SaveJames.com.

“Isso sugere que o diagnóstico de Disforia de Sexo deve ser revisado por um psicólogo independente. James nunca teve uma segunda opinião independente. A intervenção médica e social deve ser suspensa até que o pai de James possa obter uma boa segunda opinião”, afirma o site SaveJames.

“Eu acredito que isso não é apenas abuso emocional, mas é a forma mais fundamental de abuso sexual, adulterando a identidade sexual de um garoto vulnerável”, disse Jeffrey Younger ao podcast de Luke Macias.

Macias disse que se trata da agenda ativista LGBT atingindo o próximo nível nos EUA.

“Os mais radicais da nossa sociedade não se contentaram em expandir seus próprios horizontes e expulsar a verdade em relação à própria vida. Eles estão experimentando ativamente as crianças do Texas”, disse Macias.

Muitos médicos declararam publicamente que é “imprudente e irresponsável” fazer a transição de crianças para o sexo oposto. Leia mais sobre o assunto clicando nestes artigos:

Ex-funcionários e médicos de clínica para transexuais na Inglaterra exigem o fim do experimento com crianças.

EUA: Parlamentares republicanos elaboram projetos para proibir tratamento de “transição sexual” em crianças.

Cresce o número de pais que acreditam que o movimento transexual está destruindo seus filhos.

 

 

 

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »
alan correa criação de sites