Redes Sociais

Mundo

Príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, alerta sobre “escalada” com o Irã

Thaís Garcia

Publicado

em

Príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, alerta sobre "escalada" com o Irã 19
Imagem: Amr Nabil/ AP

O príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, exortou a comunidade internacional a “agir com firmeza” contra o Irã. Suas declarações acontecem mais de duas semanas após os ataques com drones e mísseis contra instalações de petróleo sauditas, que, segundo os EUA, são obra do Irã e causaram uma onda de choque nos mercados de petróleo.

As forças de segurança dos EUA dizem ter imagens de satélite e outras informações que mostram que o Irã está envolvido no ataque de drones. O Irã nega qualquer envolvimento.

“Se o mundo não tomar medidas fortes e poderosas para deter o Irã, experimentaremos uma nova escalada que ameaça os interesses mundiais. Os estoques de petróleo serão interrompidos e os preços do petróleo subirão para níveis sem precedentes”, disse o príncipe herdeiro de 34 anos, em entrevista ao programa de notícias americano ‘60 Minutes’, da CBS News, transmitido neste domingo (29).

Khashoggi
Na mesma entrevista, Bin Salman também negou ter ordenado o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, há um ano. Ele disse que assumiu “total responsabilidade” como chefe do governo saudita.

Príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, alerta sobre "escalada" com o Irã 20

“Esse foi um crime horrível. Mas assumo a responsabilidade, porque o assassinato foi cometido por pessoas que trabalham para o governo saudita”, disse o príncipe herdeiro.

Príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, alerta sobre "escalada" com o Irã 21

Khashoggi foi um jornalista, escritor e crítico do governo da Arábia Saudita. Foto: Sedate Suna / EPA.

Questionado se ele próprio ordenou o assassinato de Khashoggi, que o havia criticado em colunas pelo jornal The Washington Post, o príncipe herdeiro respondeu: “Absolutamente não. O assassinato foi um erro”, disse Mohammed bin Salman.

Assassinato
Em 2 de outubro de 2018, Khashoggi entrou no consulado saudita na Turquia, para buscar um documento necessário para se casar com sua noiva turca. Ele nunca mais saiu de lá. Suspeita-se que agentes do governo saudita tenham matado o jornalista no consulado e feito o corpo desaparecer. A Arábia Saudita prendeu 11 pessoas pelo assassinato, mas até o momento, nenhuma delas foi condenada.

Segundo um relatório das Nações Unidas, o príncipe herdeiro teria desempenhado um papel no assassinato. O Congresso dos Estados Unidos também acredita que o príncipe herdeiro é “responsável pelo assassinato”.

Em uma entrevista de quinta-feira (26) em Nova York, a noiva de Khashoggi, Hatice Cengiz, disse à AP que ela queria respostas do príncipe herdeiro para as perguntas: “Por que Jamal foi morto? Cadê o corpo dele? Qual foi o motivo desse assassinato? “

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites