Redes Sociais

Europa

Brexit impulsiona grupo da direita de Salvini em Parlamento Europeu. Partidos de esquerda têm as maiores perdas

Thaís Garcia

Publicado

em

Brexit impulsiona grupo da direita de Salvini em Parlamento Europeu. Partidos de esquerda têm as maiores perdas 16
Imagem: Getty

No Parlamento Europeu, o grupo Identidade e Democracia (ID), do senador italiano de direita Matteo Salvini, deve ganhar eurodeputados como resultado da saída do Reino Unido da União Europeia.

Depois que o Reino Unido deixar o bloco político, seus 73 assentos no Parlamento Europeu serão divididos em um grupo de 27 que serão distribuídos no parlamento, e 46 permanecerão adormecidos e poderão ser usados para o futuro alargamento da UE, informou o jornal italiano Il Giornale.

Dado que o grupo de Salvini não possui um único eurodeputado britânico, o grupo não perderá nenhum assento no parlamento, mas espera-se que cresça com mais 3 eurodeputados. Como resultado, o ID poderá se tornar maior que o Grupo Verde, de esquerda.

O Partido Popular Europeu (PPP), “centrista” e dominado pelo partido de Angela Merkel, também deve crescer, ganhando mais 5 eurodeputados, num total de 187, permanecendo o maior bloco do parlamento.

Espera-se que todos os outros grupos do parlamento percam mais membros do que ganhem, com a redução dos liberais de 108 para 97 eurodeputados, dos social-democratas de 154 para 148 e dos verdes de 74 para 67.

Deslocamento para a direita
As maiores perdas serão para os partidos de esquerda, garantindo que o Parlamento Europeu se desloque um pouco para a direita.

Salvini levou seu partido, a Liga, a uma vitória histórica nas eleições do Parlamento Europeu em maio deste ano, conquistando 34,27% dos votos – a primeira vitória do partido em uma eleição nacional.

Enquanto Salvini e a Liga deixaram o governo devido a confrontos com o Movimento Cinco Estrelas, a popularidade de Salvini não diminuiu, com a Liga permanecendo o partido mais popular na Itália e a aliança de direita da Liga, os Irmãos da Itália, e Forza Italia, com cerca de 50%.

As eleições europeias também viram uma vitória para a francesa da direita Marine Le Pen e seu Rally Nacional, que também compõem uma parte significativa do grupo Identidade e Democracia (ID).

Como Salvini, Le Pen também teve altos números de pesquisas nos últimos meses, levando a especulações de que uma revanche entre ela e o presidente Macron em 2022 é inevitável.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

alan correa criação de sites