Redes Sociais

EUA

Trump assina ordem executiva que destina US $ 50 milhões para programas que promovem liberdade religiosa em todo o mundo

1 em cada 8 cristãos no mundo sofre altos níveis de perseguição por simplesmente acreditar em Jesus Cristo

Thaís Garcia

Publicado

em

Reprodução

Na terça-feira (2), o presidente americano Donald Trump pediu às nações do mundo que acabem com a perseguição religiosa.

“Como há tanta perseguição religiosa no mundo, isso também afeta todos os outros direitos humanos”, disse Sam Brownback, embaixador dos EUA para a liberdade religiosa.

No Salão Oval da Casa Branca, Trump assinou uma ordem executiva que destina US $ 50 milhões para programas que promovem a liberdade religiosa em todo o mundo.

Planos de ação

Sob a ordem, o Secretário de Estado Mike Pompeo desenvolverá planos de ação específicos de cada país para priorizar a liberdade religiosa.

Além disso, todo o pessoal designado para cargos no exterior agora receberá treinamento internacional em liberdade religiosa.

“Isso faz da liberdade religiosa internacional uma abordagem de todo o governo, em nosso aparato básico de política externa”, disse Brownback.

A ordem executiva ocorre quando a perseguição aos cristãos e o antissemitismo estão aumentando em todo o mundo.

Países que mais perseguem cristãos

A organização Portas Abertas publica anualmente uma Lista Mundial de Perseguição, identificando os 50 principais países onde é mais perigoso seguir Jesus Cristo. 260 milhões de cristãos foram afetados por níveis extremos de perseguição no ano passado. Isso é superior aos 245 milhões do ano anterior.

Coreia do Norte ocupa o primeiro lugar novamente pelo 18º ano consecutivo como o pior lugar do mundo para os cristãos; resultado de estar sob a liderança de um regime comunista.

Na maioria dos 50 países principais, o islamismo desempenha um papel enorme nos níveis de perseguição.

Certamente, o islã alimentou a perseguição entre a maioria dos outros países que completam o top 10: Afeganistão, Somália, Líbia, Paquistão, Eritreia, Sudão, Iêmen, Irã e Índia. Com exceção da Índia, onde a perseguição aos cristãos vem aumentando preocupantemente, devido à visão de que “um indiano deve ser hindu”, então qualquer outra fé – incluindo o cristianismo – é vista como religião estrangeira.

Segundo a Portas Abertas, todos os dias no ano passado, uma média de 8 cristãos foram mortos por sua fé , 23 foram estuprados ou assediados sexualmente por violência relacionada à fé, e semanalmente, 182 igrejas ou edifícios cristãos foram atacados e 276 casas de cristãos queimadas ou destruídas.

A Portas Abertas revela que 1 em cada 8 cristãos em todo o mundo vive em lugares onde eles sofrem altos níveis de perseguição por simplesmente acreditarem em Jesus Cristo.

Leia também: Conheça os 50 países em que os cristãos são mais perseguidos

China

Em 2019, o regime comunista da China aumentou tanto a perseguição aos cristãos que o país saltou do número 43 em 2018 para 23 neste novo relatório.

Os crimes inigualáveis de direitos humanos da China contra os cristãos tem como objetivo eliminar o sentimento religioso de seus interesses.

A situação para os cristãos da China é terrível. O governo comunista chinês de Xi Jinping implantou um extenso mecanismo de vigilância para monitorar os cristãos. Eles estão realizando isso através da vigilância com pontuação social que mede o comportamento do cristão, com qual frequência ele vai à igreja ou leva seus filhos à escola dominical. Esses comportamentos de um cristão são vistos como pontos negativos.

Leia mais sobre esse mecanismo de vigilância nesta matéria: Black Mirror Chinês: A verdade sobre o Sistema de Crédito Social da China

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »
alan correa criação de sites