Redes Sociais

Coronavírus

Saiba quais são os lugares do mundo, aparentemente “sortudos” (ou mentirosos), onde não há coronavírus

Thaís Garcia

Publicado

em

Reprodução

Os países sem casos relatados de coronavírus chinês se dividem em 3 categorias amplas e sobrepostas: Estados insulares isolados, Estados autocráticos e Estados pobres com pouca capacidade de testar amplamente ou bem.

É importante reconhecer que todos os painéis disponíveis na internet contém dados provenientes de governos. A transparência e a confiabilidade de um determinado governo são muito importantes para determinar se os dados são realmente confiáveis. Depois que um país confirma a presença do vírus, um governo certamente ainda pode manipular o quão ruim a situação aparece por meio de dados. Uma manipulação nos dados pode deturpar a realidade.

Atualmente, os lugares aparentemente “sortudos” (ou mentirosos) são: Turcomenistão, Ilhas Salomão, Vanuatu, Samoa, Kiribati, Micronésia, Tonga, Ilhas Marshall, Palau, Tuvalu e Nauru.

Coreia do Norte

No caso da Coreia do Norte, segundo os dados de sites como o Worldometer.info, não há registros oficiais de casos de coronavírus chinês. Apesar da alegação de que o país recluso não confirmou casos de covid-19, a Radio Free Asia (RFA) relatou que as autoridades têm dito aos cidadãos em palestras públicas que há casos confirmados dentro das fronteiras no início de março.

Houve casos confirmados em três áreas: Pyongyang, província de Hwanghae do Sul e província de Hamgyong do Norte.

Por isso, nesse caso específico temos como afirmar que a Coreia do Norte não deve entrar na lista dos “sortudos”.

Classificação

Embora pareça simples classificar os países em democracias transparentes e autocracias obscuras, a crise atual expõe o fato de que a realidade é mais complexa do que isso. O Vietnã, um Estado comunista autocrático, tem sido visto como muito transparente em relação à pandemia; enquanto alguns estados e municípios de países democráticos, como os Estados Unidos e o Brasil, foram transparentes sobre a crise, outros se esforçam para ocultar informações críticas e colocar mortes por outras complicações da saúde na conta do coronavírus chinês.

Outro ponto importante na classificação, é considerar que as taxas de infecção, cura e mortalidade de um país dependem de uma série de fatores que incluem, entre outros, o momento e a gama de ações preventivas do governo, padrões de viagens, densidade populacional, pobreza, tipo de sistema de saúde, capacidade de teste, tratamentos com medicamentos eficazes (como o uso da hidroxicloroquina), e boas ou más práticas de higiene. Certos Estados – em virtude de seus atributos existentes – são mais preparados; outros estão em maior risco, apesar de maiores capacidades. Considerar essas complexidades é tão importante quanto ser crítico sobre quais dados estão ou não disponíveis.

O autocrático Turcomenistão permanece sem casos registrados ou em negação, como a Coreia do Norte. Há dúvidas se o país realmente está livre do coronavírus chinês, por sua localização geográfica, capacidade de testes, práticas de higiene e falta de transparência.

Para os Estados que continuam sem relatos de casos de covid-19 – seja de forma crível como no Pacífico ou não, como no Turcomenistão e Coreia do Norte – há apenas uma observação: esses Estados ainda assim são afetados pela devastação causada pelo coronavírus chinês na economia mundial.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites