Redes Sociais

Reino Unido

Reino Unido proíbe 5G da Huawei e dá prazo para empresas removerem tecnologia do país

Guilherme L. Campos

Publicado

em

O governo britânico acaba de anunciar que vai proibir as empresas de telecomunicações do país de comprar novos equipamentos fabricados pela chinesa Huawei. As empresas britânicas vão ter até 2027 para remover a tecnologia chinesa já instalada de suas redes 5G.

Oliver Dowden, ministro britânico responsável pelas questões digitais, disse na Câmara dos Comuns na terça-feira da semana passada que novas compras de equipamentos Huawei 5G serão barradas a partir do final deste ano e que os equipamentos da empresa chinesa terão que ser retirados das redes britânicas até o final de 2027.

A decisão britânica acompanha as novas restrições dos EUA aos chips de computador da Huawei e ocorre em meio a uma deterioração mais ampla das relações entre o Reino Unido e a China, mais recentemente relacionada à imposição da China de uma nova lei de segurança sobre a ex-colônia britânica de Hong Kong.

Os EUA seguem firmes em sua estratégia de pressionar governos do ocidente para que recusem a tecnologia da Huawei em seus países. Enviados americanos, liderados pelo consultor de segurança nacional dos EUA Robert O’Brien e seus colegas da Itália, Alemanha, França e Reino Unido, estão reunidos em Paris esta semana.

A Huawei disse que conduzirá uma revisão detalhada de seus negócios no Reino Unido. John Browne, presidente do conselho da Huawei no Reino Unido, renunciou horas antes do anúncio.

Restrições americanas

O governo Trump aumentou a pressão sobre a Huawei em maio com restrições que impedem os fabricantes estrangeiros de semicondutores cujas operações usam software e tecnologia dos EUA de enviar chips para a Huawei sem primeiro obter uma licença das autoridades americanas. As autoridades britânicas disseram que essa restrição levantou questões sobre a qualidade dos equipamentos da Huawei no futuro.

 

Católico, Conservador, Correspondente Internacional, Observador Político e criador do 'Direto da América'. Atualmente vive no estado da Pensilvânia, Estados Unidos.

alan correa criação de sites