Redes Sociais

Mundo

Pompeo alerta que Irã se tornará traficante de armas para regimes de Maduro e Assad se embargo a armas expirar

“Se o Irã puder comprar armas de países como China e Rússia, mais civis no Oriente Médio morrerão nas mãos de regimes e de seus representantes”

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

O Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, alertou na quarta-feira (1) que o regime iraniano se tornará um traficante de armas para ditadores em lugares como Síria e Venezuela se um embargo de armas de 13 anos ao Irã expirar; e que mais pessoas morrerão no Oriente Médio, informou a Fox News.

“Se o Irã puder comprar armas de países como China e Rússia, mais civis no Oriente Médio morrerão nas mãos de regimes e de seus representantes”, afirmou Pompeo durante entrevista coletiva.

O embargo de armas imposto a Teerã há mais de uma década deve expirar como parte do Plano de Ação Conjunta (JCPoA), também conhecido como Acordo Nuclear com o Irã, em outubro deste ano.

Mas os EUA alertaram que, dado o comportamento desonesto do regime iraniano e seu financiamento de terroristas como o grupo Hezbollah, que as consequências serão desastrosas para a região e para outros lugares – e que o ditador socialista venezuelano Nícolas Maduro e o sírio Bashar al-Assad seriam os beneficiários.

“Teerã se tornará um traficante de armas para os Maduros e Assads do mundo, inimigos jurados de Israel como o Hamas e o Hezbollah estarão melhor armados, as nações europeias estarão em risco”, afirmou Pompeo.

Os EUA deixaram o acordo com o Irã em 2018, depois de longa oposição ao acordo da era Obama pelo Presidente Trump, mas argumentaram que ainda têm a capacidade de usar uma cláusula no acordo que permite que uma nação individual “retire” as sanções contra Irã.

Pompeo alertou que, se a ONU não votar a prorrogação do embargo, os EUA procurarão “retroceder” as sanções, conforme afirmam que estão autorizados a fazer como membro ainda participante da Resolução 2231 da ONU, que consagrou o acordo com Irã.

O Departamento de Estado dos EUA denuciou na semana passada o financiamento de terrorismo de Teerã em casa e no exterior em 2019, dizendo que planeja e comete ataques terroristas “em escala global”.

“Por meio das Forças Quds da Guarda Revolucionária Iraniana, o Irã continuou seu apoio a vários grupos terroristas designados pelos EUA, fornecendo financiamento, treinamento, armas e equipamentos. Entre os grupos que recebem apoio do Irã estão o Hezbollah, o Hamas, a Jihad Islâmica da Palestina, o Kata’ib Hezbollah (KH) no Iraque e as Brigadas al-Ashtar em Bahrain”, diz o relatório. “O Irã também forneceu armas e apoio aos grupos militantes xiitas no Iraque, aos houthis no Iêmen e aos talibãs no Afeganistão”.

Nesta semana, o Departamento do Tesouro dos EUA impôs sanções ao setor de metais do Irã, bem como aos capitães de cinco navios iranianos que entregaram gasolina ao regime autoritário de Maduro na Venezuela.

Na quarta-feira (1), Pompeo conversou diretamente com o Conselho de Segurança da ONU, exortando-os a apoiar a extensão do embargo por tempo indeterminado.

“Esta câmara [Câmara de Conselho da ONU] tem uma escolha: defender a paz e a segurança internacionais, como pretendiam os fundadores das Nações Unidas, ou deixar o embargo de armas à República Islâmica do Irã expirar, traindo a missão da ONU e seus melhores ideais, que todos nós prometemos defender”, afirmou Pompeo durante uma videoconferência.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »
alan correa criação de sites