Redes Sociais

Mundo

Polícia de condado britânico pode invadir casas no Natal para acabar com celebrações familiares que violarem regras da Covid

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

O comissário da polícia do condado britânico de West Midlands anunciou esta semana que os policiais podem invadir casas e acabar com os jantares de Natal de famílias que violarem regras da Covid nesta temporada de férias.

“Se acharmos que há grandes grupos de pessoas se reunindo onde não deveriam, a polícia terá que intervir”, disse David Jamieson ao The Telegraph. “Se, novamente, houver violação flagrante das regras, então a polícia terá cumprir [as regras].”

“Não é função da polícia impedir que as pessoas aproveitem o Natal”, continuou ele. “No entanto, estamos lá para fazer cumprir as regras que o governo faz, e se o governo faz essas regras, então o governo tem que explicar isso ao público.”

“Enquanto isso, há criminosos nas ruas de West Bromwich East. Esfaqueamento, tráfico de drogas, uma série de vítimas no condado, assaltos, furtos em lojas e fogos de artifício sendo atirados contra crianças e policiais – está claro que nosso PCC [comissário de polícia] David Jamieson não está dando a prioridade correta”, disse a parlamentar conservadora representante do condado, Nicola Richards no Twitter.

Jamieson não parou por aí. O plano de licença do país – que garantiu que os trabalhadores afastados durante a pandemia recebessem 80% de sua renda – está previsto para expirar em novembro. O comissário de polícia disse que está sentado em uma “bomba-relógio”, esperando que a ajuda financeira se esgote.

“Estamos chegando muito perto do estágio em que é possível ver uma explosão considerável de frustração e energia”, explicou ele. “As coisas estão muito tensas em muitas comunidades e não demoraria muito para desencadear tumultos, motins, danos.”

Partes de West Midlands estão atualmente sob em medidas de bloqueio de nível dois, o que significa que as pessoas não podem se misturar com pessoas de qualquer outra família da casa ou se reunir em ambientes fechados, relatou o Metro.

Os comentários de Jamieson são uma contradição direta aos do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que sugeriu que as medidas draconianas poderiam ser relaxadas no dia de Natal para que as pessoas pudessem desfrutar de um feriado “normal”.

No início de outubro, Johnson disse à jornalista do ITV News, Emma Hutchinson, que seu governo está fazendo “tudo que podemos para garantir que o Natal para todos seja o mais normal possível”.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites