Redes Sociais

EUA

Pentágono insere Huawei na lista de empresas de propriedade ou controladas por militares chineses

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

A empresa de telecomunicações Huawei foi nomeada em uma lista de empresas que os EUA consideram “ser de propriedade ou controladas pelos militares chineses”. A Huawei é uma das 20 listadas pelo Pentágono – uma designação que pode lançar as bases para novas sanções, informou a Sky News.

A lista pode lançar as bases para sanções financeiras mais duras e chega em um momento em que as tensões ferventes entre os dois países voltam à tona.

Washington colocou a Huawei em uma lista negra comercial no ano passado por questões de segurança nacional e liderou uma campanha para alertar países aliados sobre a espionagem chinesa e orientar a excluir a empresa de suas redes 5G.

Reação global
Mas a reação global contra a China e os relatos de espionagem do Exército de Libertação Popular através dessas empresas é proveniente de vários governos, como no caso do Reino Unido, e também dos próprios operadores de telecomunicações, como no Canadá, onde duas das três principais empresas de telecomunicações anunciaram que não lidariam com a Huawei em sua distribuição 5G.

A Grã-Bretanha, no início deste ano, decidiu permitir que os equipamentos da empresa chinesa tivessem um papel limitado em sua rede – mas, mais recentemente, afirmou que reavaliaria essa decisão após um aumento das sanções contra a Huawei pelos EUA. Os defensores conservadores também vêm pedindo ao governo britânico que adote uma linha mais dura.

O governo dos Estados Unidos também já aconselhou os países europeus a utilizarem produtos da Ericsson, Nokia e Samsung, em vez da Huawei. A Polônia assinou um acordo de cooperação com os EUA para a nova tecnologia 5G, afirmando que a segurança e a cooperação com os EUA serão um aspecto central.

O Vietnã, por questões geopolíticas, também contornou a chinesa Huawei e desenvolveu uma tecnologia própria para o 5G.

A lista
A lista de empresas dos EUA, elaborada pelo departamento de defesa, nomeia 20 empresas, incluindo a Huawei e a empresa de vigilância por vídeo Hikvision, China Telecommunications Corp e fabricante de aeronaves Aviation Industry Corp da China (AVIC).

A designação de empresas como “pertencentes ou controladas” pelo Exército Popular de Libertação foi elaborada sob uma lei de 1999 que determina o Pentágono a compilar essa lista.

Estar na lista por si só não gera nenhuma penalidade, mas a lei estabelece que o Presidente pode impor sanções às empresas.

A Casa Branca não comentou se adotaria tal ação. Mas um alto funcionário do governo americano disse que poderia ser “uma ferramenta útil para o governo dos EUA, empresas, investidores, instituições acadêmicas e parceiros afins conduzirem a devida diligência em relação às parcerias com essas entidades, principalmente à medida que a lista cresce”.

É provável que aumente as tensões entre as duas maiores economias do mundo, que estão em desacordo com o tratamento da pandemia de coronavírus chinês e com a decisão da China de impor legislação de segurança em Hong Kong e também no comércio, violando o direito à liberdade individual dos cidadãos da ilha.

Huawei, China Telecom, AVIC e a Embaixada da China em Washington não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Sky News.

A Hikvision classificou as alegações de “infundadas”, observando que não era uma “empresa militar chinesa” e que nunca havia participado de nenhum trabalho de pesquisa e desenvolvimento para aplicações militares.

A empresa disse disse que trabalharia com o governo dos Estados Unidos para resolver o problema.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites