Redes Sociais

Mundo

Paquistão comprará 1,2 milhão de vacinas da China, mas a maioria dos paquistaneses não está disposta a tomá-las, segundo jornal

Thaís Garcia

Publicado

em

Em 31 de dezembro, o Ministro da Ciência e Tecnologia do Paquistão, Chaudhry Fawad Hussain, disse que o país obteria cerca de 1,2 milhão de vacinas chinesas contra covid-19 da Sinopharm. Este se tornou o primeiro pedido oficial feito pelo país islâmico para uma vacina contra o vírus chinês. O Paquistão havia aprovado no início de dezembro US $ 150 milhões em financiamento para comprar vacinas contra a covid-19, inicialmente para cobrir os 5% mais vulneráveis ​​da população.

Enquanto o Estado do Paquistão está comemorando a compra de 1,2 milhão de doses de uma vacina contra a covid-19, desenvolvida por uma empresa farmacêutica apoiada pelo Estado comunista chinês, os cidadãos paquistaneses comuns não estão tão felizes com a escolha do governo. Na verdade, segundo a Bloomberg, acredita-se que a maioria dos paquistaneses esteja apreensiva com as vacinas fabricadas na China, desenvolvidas às pressas e sem as devidas verificações de qualidade e segurança. A Bloomberg entrevistou paquistaneses em Karachi, a maior cidade do país, a maioria dos quais se recusou abertamente a tomar uma vacina chinesa.

“Eu não vou aceitar”, disse Farman Ali Shah, um motorista de motocicleta em Karachi para o aplicativo local de pedestres Bykea. “Não confio nisso”, acrescentou.

Apesar de investir mais de US $ 70 bilhões no Paquistão, a China não consegue vender seus produtos farmacêuticos no país, isso é um testemunho do fato de que as habilidades de projeção de poder do dragão vermelho sofreram um sério golpe no ano que passou.

Curiosamente, embora o Paquistão tenha feito um pedido de 1,2 milhão de doses da vacina chinesa, quase nenhum paquistanês parece estar disposto a ser vacinado com a mesma. Portanto, é altamente provável que o Paquistão estaria comprando vacinas que, em última análise, não seriam colocadas em uso. Além de comprar vacinas da Sinopharm, o Paquistão também abriu o caminho para que seu setor privado importe qualquer outra vacina internacional de sua escolha.

Domesticamente, o Paquistão está realizando ensaios clínicos de fase III para a vacina candidata contra a covid-19 da CanSino Biologics, Ad5-nCoV, liderada pelo Instituto Nacional de Saúde, administrado pelo governo, informou a Reuters.

Com exceção do Paquistão, a China está enfrentando contratempos na frente de vacinas em quase todos os países onde está lançando suas vacinas.

No Brasil, onde foram realizados testes para a vacina chinesa Sinovac, mais de 50% das pessoas rejeitaram amplamente a candidata.

A rejeição da vacina chinesa pelos paquistaneses e brasileiros poderia induzir a uma crise no setor farmacêutico da China.

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites