Redes Sociais

Mundo

Novo relatório sobre tráfico humano revela que China continua a possuir a pior classificação das principais nações do mundo

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

O Departamento de Estado dos EUA divulgou seu relatório anual sobre Tráfico de Pessoas ou “TIP”, na última quinta-feira (25). O mais recente relatório sobre tráfico humano em todo o mundo não traz boas notícias. A deputada republicana, Linda Smith, do estado americano de Nova Jersey, que ajudou a criar algumas das leis para o combate do tráfico de seres humanos no país há cerca de 20 anos, disse que “é um relatório difícil, mas justo”.

“A China continua a possuir a pior classificação de tráfico de seres humanos das principais nações do mundo, marcando o Nível 3”, disse a parlamentar Linda Smith à CBN News.

Este ano, pela primeira vez, o relatório nomeou alguns governos como cúmplices no tráfico. Além da China, esses governos incluem Cuba, Coreia do Norte, Rússia e Afeganistão. A classificação no relatório TIP pode desencadear sanções e cortes de ajuda aos respectivos países.

Smith apontou que o relatório de 2020 tem outra adição decepcionante pela primeira vez – a Irlanda foi adicionada à lista de observação de Nível 2.

“É uma classificação muito decepcionante, mas reveladora”, disse Smith, que é de origem irlandesa. “Desde 2013, a Irlanda não conseguiu garantir uma única condenação por tráfico humano e diminuiu os esforços de proteção às vítimas. A Irlanda merece ser convocada. Amigos não deixam amigos ignorarem os abusos de tráfico. Com os olhos do mundo agora voltado para o país, a Irlanda deve melhorar isso.”

Smith esteve na vanguarda da batalha contra a escravidão moderna, conhecida como tráfico humano, aprovando leis que criaram políticas para impedir o tráfico, processar traficantes e proteger vítimas.

Uma de suas leis foi usada para processar e prender milhares de traficantes de seres humanos, até levando às acusações feitas contra Jeffrey Epstein e à infame condenação da atriz Allison Mack, de “Smallville”, que se declarou culpada de um esquema que transformou mulheres em escravas sexuais.

Em 2019, o Presidente dos EUA, Donald Trump, assinou a mais recente legislação de Smith, a Lei de Reautorização de Prevenção e Proteção de Vítimas de Tráfico de Frederick Douglass, que foi o quinto projeto de lei abrangente sobre tráfico de seres humanos de Smith a se tornar lei.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites