Redes Sociais

Brasil

No 1º dia de Silva e Luna, Petrobras chega a ganhar R$ 16 bilhões em valor de mercado

Novo presidente da estatal firmou seu discurso em alocação de capital, desinvestimentos e política de preços.

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Divulgação | PR

O general Joaquim Silva e Luna, escolhido a dedo pelo presidente Jair Bolsonaro, tomou posse nesta segunda-feira (19) como presidente da Petrobras.

O militar substitui o economista Roberto Castello Branco.

Ontem, ao discursar, Silva e Luna disse que não há dúvidas de que, entre os principais desafios, estão tornar a estatal cada vez mais forte, trabalhando com visão de futuro, segurança, respeito ao meio ambiente, aos acionistas e à sociedade para garantir o maior retorno possível ao capital empregado.

“Crescer sustentado em ativos de óleo e gás de classe mundial, em águas profundas e ultraprofundas, buscando incessantemente custos baixos e eficiência. E fazer tudo isso conciliando os interesses de consumidores e acionistas, valorizando os nossos petroleiros, buscando reduzir volatilidade sem desrespeitar a paridade internacional, perseguindo a redução da dívida, investindo em pesquisa e desenvolvimento e contribuindo para a geração de previsibilidade ao planejamento econômico nacional”, declarou.

As palavras dele foram bem recebias pelos investidores, fazendo as ações da empresa dispararem.

Com isso, em apenas um dia, a Petrobras chegou a ganhar R$ 16 bilhões em valor de mercado.

Às 16h05, o valor da companhia atingiu pouco mais de R$ 318 bilhões, ante R$ 297 bilhões do fechamento da última sexta-feira (16).

No fechamento desta segunda, o valor de mercado recuou para R$ 313,6 bilhões, mas manteve uma alta expressiva de R$ 16,5 bilhões.

Leia mais: Saiba quem é o general indicado para comandar a Petrobras

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.