Redes Sociais

Índia

‘Não desrespeite nossa soberania’, diz governo de Modi a CEO do Twitter após rede social mostrar Jamu e Caxemira como parte da China

Thaís Garcia

Publicado

em

AP/PIB

Na semana passada, o Twitter cutucou um ninho de vespas ao mostrar a geolocalização de Lé, em Jamu e Caxemira, região administrada pela Índia como Território da União, como parte da República Popular da China, o que foi corrigido somente após uma reação generalizada. Em reação, o governo indiano emitiu um alerta severo ao CEO do Twitter, Jack Dorsey, por deturpar o mapa indiano.

Ajay Sawhney, Secretário do Ministério de Eletrônica e TI (MEITY) da Índia, em sua carta a Jack Dorsey, transmitiu a forte desaprovação do governo indiano de Modi, depois que a rede social mencionou Jamu e a Caxemira como parte da China. O Secretário do MEITY procurou reiterar o fato de que Lé, localizada pelo Twitter como uma cidade na China, é a sede do Território da União de Ladaque, sendo que Ladaque e Jamu e Caxemira são partes integrantes e inalienáveis ​​da Índia.

Em um aviso severo, Ajay Sawhney afirmou que qualquer tentativa do Twitter de desrespeitar a integridade e soberania da Índia é totalmente inaceitável e também ilegal. Em nome do Governo Modi, Sawhney também pediu ao gigante da tecnologia que respeitasse a sensibilidade dos cidadãos indianos.

Sawhney também questionou a neutralidade da plataforma ao afirmar que tais incidentes não apenas trazem descrédito ao Twitter, mas também levanta questões sobre sua neutralidade e justiça como intermediário.

Na semana passada, quando o analista de segurança nacional, Nitin Gokhale, foi ao ar na plataforma com um vídeo de transmissão ao vivo do museu de guerra ‘Hall of Fame’ em Lé, a geolocalização da cidade exibida no vídeo foi marcada pelo Twitter como ‘Jamu e Caxemira, República Popular da China’, causando assim uma tempestade.

“Pessoal do Twitter, acabei de fazer um vídeo do Hall of Fame dando ‘Hall of Fame’ como o local e adivinha o que está dizendo: Jammu e Caxemira, República Popular da China! Vocês são malucos? ” tuitou Gokhale.

“Pessoal do Twitter, coloque Hall of Fame Lé como seu local para transmissão ao vivo e veja o que acontece. Ele mostra locais como Jamu e Caxemira, República Popular da China. Eu testei novamente. Ultrajante, ultrajoso. Inunde o Twitter com reclamações. O governo indiano deve tomar medidas imediatas”, escreveu o analista, no Twitter.

Depois de críticas incessantes, o Twitter finalmente corrigiu seu erro. No entanto, isso pode ser visto como um ato do Twitter em ceder à propaganda chinesa. Após a correção, o Twitter agora menciona apenas “Jamu e Caxemira”, e não “Jamu e Caxemira, Território da União, Índia”, o que revela seu viés evidente.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites