Redes Sociais

Mundo

Mundo árabe pede boicote total à Turquia

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

O líder turco Recep Tayyip Erdogan e suas ambições de “restaurar o império otomano” conseguiram colocar o mundo árabe contra a Turquia. Liderado pelo Reino da Arábia Saudita, o mundo árabe está pronto para boicotar a Turquia, o que trará sérias implicações para sua economia já em rápido declínio.

Recentemente, Erdogan afirmou que alguns países do Golfo Pérsico tinham como alvo a Turquia e buscavam políticas que “desestabilizavam a região”.

Dirigindo-se à Assembleia Geral da Turquia, Erdogan disse: “Não se deve esquecer que os países em questão não existiam ontem e provavelmente não existirão amanhã; no entanto, continuaremos a manter nossa bandeira hasteada nesta região para sempre, com a permissão de Allah.”

Os comentários do líder turco não foram bem recebidos pelo mundo árabe. Após as declarações de Erdogan, o chefe da Câmara de Comércio da Arábia Saudita pediu abertamente um boicote a “tudo que é turco”, incluindo importações, investimentos e turismo, afirmando que é”responsabilidade de cada saudita” de boicotar a Turquia.

Como a Arábia Saudita não pode boicotar oficialmente a Turquia sem solicitar sanções da Organização Mundial do Comércio (OMC), ela tem colocado pressão sobre as empresas locais para não comercializarem com a Turquia e suas indústrias, com várias ocorrências do Reino detendo caminhões transportando produtos da Turquia, o que aumenta ainda mais o boicote não oficial da Arábia Saudita à Turquia. O país também cancelou os contratos de trabalho de cidadãos turcos de alto escalão que trabalhavam no Reino.

À luz do boicote não oficial, a Turquia está considerando bater às portas da OMC e buscar compensação por meio de uma disputa formal.

O desgosto absoluto pela Turquia é visto nos escalões superiores do Reino Saudita, como no caso do Príncipe Faisal Bin Bandar Bin Abdulaziz se recusando a beber o café turco oferecido a ele no ano passado ou do Príncipe Abdullah Bin Sultan Al Saud pedindo um boicote à Turquia e seus produtos até “Ancara rever suas políticas com o Reino”.

O Egito também faz parte dessa união do mundo árabe contra a Turquia e garantiu um boicote árabe eficiente durante a reunião de setembro da Liga Árabe.

Em sua declaração conjunta, os ministros das Relações Exteriores da Liga Árabe denunciaram a “interferência da Turquia nos assuntos árabes”, incluindo suas ações militares na Síria, Líbia e Iraque, e exortaram o país a “parar as provocações que poderiam corroer a confiança e ameaçar a segurança e estabilidade da região”.

Mesmo antes de a pandemia atingir o mundo, a Turquia já enfrentava uma crise monetária que começou em 2018, e que posteriormente levou a uma recessão acentuada. No atual ano fiscal, a lira turca emergiu como uma das moedas de pior desempenho do mundo, com queda de 22%, com a situação se deteriorando ainda mais com o esgotamento rápido das reservas cambiais.

Em uma situação tão precária, o boicote não oficial da Arábia Saudita começou a prejudicar a frágil economia da Turquia, já que nos primeiros sete meses do ano as exportações turcas ficaram em cerca de US $ 90 bilhões, diminuindo 13,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

O maior ponto de discórdia entre o mundo árabe e a Turquia é o fato de como Erdogan, embora sem sucesso, tentou forjar um grupo diferente com o Paquistão e a Malásia que minaria a autoridade da Organização dos Países Islâmicos em sua busca para destronar a Arábia Saudita de ser o país líder de fato do mundo islâmico.

Além disso, o fato de a política externa de Erdogan ser exatamente oposta à do mundo árabe também não colaborou. Enquanto a Turquia apoia a oposição na Síria e o governo apoiado pela ONU na Líbia, a Arábia Saudita e seus aliados regionais têm relações mais calorosas com o regime de Assad na Síria e apoia o renegado marechal, Khalifa Haftar, na Líbia.

A posição da Turquia sobre as principais questões geopolíticas também é percebida como uma ameaça à paz na região, e talvez seja por isso que os árabes estão contra-atacando e pediram um boicote eficiente de tudo que é turco.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites