Redes Sociais

Coronavírus

Intelectual conservador francês Renaud Camus é internado com coronavírus

Camus foi condenado a 2 meses de prisão por ter chamado a imigração em massa de “invasão” durante um discurso em 2017

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

O renomado intelectual conservador francês, Renaud Camus, autor de ‘Le Grand Replacement’ (A Grande Substituição) e que foi condenado a 2 meses de prisão por ter chamado a imigração em massa de “invasão” durante um discurso em 2017,  foi internado com coronavírus chinês e atualmente está em tratamento hospitalar.

Nos últimos dias, Camus, de 73 anos, falou sobre a doença várias vezes através de mensagens em suas redes sociais. Muito ativo no Twitter, ele parou de postar na sexta-feira (17), após ser internado no hospital em Auch, na França. A informação é de seu amigo Philippe Martel.

O conservadorismo de Camus

Camus foi condenado por “incitação pública ao ódio ou à violência com base na origem, etnia, nacionalidade, raça ou religião”. O escritor evitou sua prisão, pagando uma multa de 1.800 euros.

“Imigração em massa substitui população original por falsas”: A opinião de Camus, agora punível, foi expressa durante um discurso em novembro de 2017.

“A colonização irreversível é uma colonização demográfica pela substituição da população. A substituição étnica, o grande substituto, tem sido o evento mais importante na história de nossa nação desde a sua criação. Se isso continuar, o povo não será mais o da França. Essa substituição da população nativa por imigrantes do mundo islâmico é mais conhecida em nosso país como ‘Umvolkung’”.

‘Umvolkung’, em Alemão, é um termo na ideologia nazista usado para descrever um processo de assimilação de membros do povo alemão (o Volk) como uma maneira de esquecer sua língua e sua origem. Como neologismo, ele ecoa a “inversão de polaridade” (Umpolung), levando a uma interpretação semelhante à “inversão de etnia”. O termo também é usado para descrever a “re-germanização” do povo alemão, depois que o novo ‘Lebensraum’ (espaço vital em geografia política) foi conquistado e o povo alemão que já residia lá se tornaria mais alemão novamente. Umvolkung no primeiro sentido foi visto como um processo negativo durante o Terceiro Reich, enquanto o segundo processo foi visto como mais desejável.

Segundo o conservador francês, imigração em massa é a substituição, a tendência a substituir, normalizar, padronizar e trocar tudo … o original por uma cópia, o autêntico por imitação, o verdadeiro por falso, as mães por mães substitutas, a cultura por lazer e entretenimento.

Camus, portanto, pediu “um consenso nacional de resistência” à islamização e “uma luta para salvar a civilização europeia comum, celta, eslava, germânica, greco-latina e judaico-cristã”.

Em 2017, Camus fundou o Conselho Nacional de Resistência Europeia, que também busca unir intelectuais e ativistas anti-imigração em massa na causa da defesa da Europa.

Desde então, o termo “a grande substituição” tornou-se um termo familiar para conservadores, mesmo fora da França, dada sua descrição concisa e precisa do que os europeus nativos veem acontecendo ao seu redor, enquanto a imigração em massa afeta a cultura, as tradições e a segurança do Ocidente.

Camus sempre rejeitou a violência praticada em nome desse conceito.

.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites