Redes Sociais

Artigo

“Fogo nos racistas” é a solução?

Publicado

em

Foto: Alberto Veiga / Futura Press

Nota importante: este texto não trata do mérito se o segurança que matou um jovem no mercado estava correto ou não, ou se o jovem era bandido ou não. 

Na cabecinha atrasada — pra não usar o termo retardada — dos progressistas, mate-se gente no Brasil por serem negros, não por ocasionalmente serem drogados na fissura, assaltantes, ladrões, ou qualquer tipo de criminoso. Como é preciso desenhar, explicar o desenho e desenhar a explicação do desenho, terei que explicar minha frase para evitar mal entendidos. Mesmo sabendo que não adiantará de nada. Mas a menor parcela não analfabeta funcional já entendeu…

Mata-se mais de 60 mil pessoas por ano no Brasil. Mas os movimentos de minorias não se importam com os outros. Só sem importam com os zero vírgula sei lá quanto de homossexuais — mortos também por outros homossexuais — que morrem por vários motivos aleatórios, cujas causas nunca saberemos, pois pouquíssimos crimes são solucionados. Mesmo assim eles dizem que mata-se homossexuais por apenas serem homossexuais… e é disso que eu estava falando. Não se mata negros no Brasil por serem negros, ocasionalmente eram negros cometendo crimes.

Recentemente o jornalzinho da lacração The Intercept publicou umas fotos e vídeos de manifestantes contra o Extra, no caso do segurança que matou um jovem dentro do supermercado. 

FOGO NOS RACISTAS, dizia uma faixa dos manifestantes no Rio em frente ao Extra, na Barra da Tijuca.

Perceberam o discurso? Não se importam com violência, pois sempre agem com violência… não se importam com mortes, pois sempre os vemos pedindo a morte de todos que discordam deles. São apenas escravos ideológicos de movimentos revolucionários que almejam o caos e o fim de toda a ordem. Querem dominar o vocabulário com discursos autoritários, e é tudo.

Quando é conveniente para a narrativa, pardo torna-se negro, quando não, pardo torna-se branco. Como já disse o intelectual NEGRO Paulo Cruz: pardos em presídio tornam-se negros em estatística… mas pardo em universidade tornam-se brancos. Se a solução para os problemas de criminalidade é FOGO NOS RACISTAS, então algo está muito errado.

Pra completar, sem querer criar polêmica (risos) o segurança é tão negro quando o jovem que infelizmente faleceu). Não fui um crime de racismo. 

Cristão, conservador — o termo usado por idiotas é extrema direita: pró-vida, pró-família, pró-armas —, pedagogo, escritor e poeta. Vivo de poesia pra não morrer de razão. — www.andersonsandes.net

Publicidade
2 Comentários

2 Comments

  1. Revson

    18.02.2019 at 12:12

    Ora! “O problema nunca é o problema. O problema é a revolução”. Como já disse Saul Alinsky.

  2. pi^pi

    17.02.2019 at 19:26

    Tá certo, não sou progressista, e estou sempre revendo minhas ideias.

    Agora eu analisei o vídeo do assassinato,
    pra mim, o que aconteceu não foi racismo, e sim um homicídio doloso, sem mais nem menos.
    Mas ao meu ver, uma pessoa que fica de pé assistindo ou filmando o ato, sem ao menos tentar intervir, ou chamar o órgão responsável (P-O-L-I-C-I-A), não passa de cúmplice. Talvez isso se deve ao fato do segurança ter mérito e “saber o que ele está fazendo”.
    Se ele soubesse o que estava fazendo, uma algema e um pedido de explicação bastaria.

    Agora se as pessoas querem debater racismo, elas precisam entender os casos que realmente fomentam o racismo.
    Nem tudo é ideologia, ou politica.

    Isso aqui não é poema, já aconteceu comigo e com muito mais negros do que você pode contar, se aconteceu com você eu estou totalmente errado:
    Racismo é você ser negro e não poder andar sem seu RG, ou ter que ficar acostumado com os seguranças te seguindo.
    Racismo é você não poder andar no mesmo lado da calçada, sem as pessoas acharem que você quer rouba-las, e então você precisa mudar de calçada pra eles se sentirem confortáveis. O mesmo para sentar no banco do ônibus.
    Racismo é uma pessoa ser prestigiada por sua cor e não por sua capacidade.

    Quando você diz “Na cabecinha atrasada”, quer dizer negros que sofreram racismo?

    É claro que é mais fácil lidar tudo como um caso isolado, e seria um erro dizer que apenas negros morrem.

    Agora se você quer lidar com os fatos isolados, é melhor impor as verdades:
    o menino estava tendo convulsões, e muitos jornais divulgaram ele como suspeito de furto, por que ‘suspeito’ será?

    Em nenhum momento defendi bandidos, até por que existe bandidos de todas as cores e são melhores mortos, não é? precisamos selecionar as cores?

    Foda-se os movimentos de minorias. São os que mais praticam separatismo depois de Hitler.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites