Redes Sociais

Mundo

EUA sancionam poderoso general cubano e ex-genro de Raúl Castro

Thaís Garcia

Publicado

em

Reprodução

Os Estados Unidos sancionaram na quarta-feira (30) o general Luis Alberto Rodríguez López-Calleja, ex-genro do líder cubano Raúl Castro, que dirige a maior parte da economia cubana como chefe do poderoso conglomerado de empresas militares GAESA.

O Departamento do Tesouro dos EUA incluiu López-Calleja na lista de nacionais especialmente designados e pessoas bloqueadas. A listagem congela todos os seus ativos nos EUA ou sob o controle de pessoas dos EUA. Indivíduos e empresas sob jurisdição dos EUA estão proibidos de negociar com ele.

GAESA, ou Grupo de Administración Empresarial S.A., é o braço econômico das Forças Armadas Revolucionárias Cubanas (em espanhol, Fuerzas Armadas Revolucionarias — FAR) . Ela controla mais de 50 empresas nos setores mais lucrativos do país, como turismo, remessas, serviços financeiros, supermercados, redes de lojas, imóveis, postos de gasolina, importação e exportação, transporte e construção.

“A receita gerada pelas atividades econômicas do GAESA é usada para oprimir o povo cubano e financiar a dominação colonial parasitária de Cuba na Venezuela”, disse o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo. “A ação de hoje demonstra o compromisso de longa data dos Estados Unidos em acabar com as práticas econômicas que beneficiam desproporcionalmente o governo cubano ou seus militares, agências de inteligência e segurança ou pessoal às custas do povo cubano e venezuelano.”

O Presidente dos EUA, Donald Trump, proibiu transações diretas com o GAESA e a maioria de suas empresas afiliadas em um memorando assinado em junho de 2017, em Miami. Recentemente, o governo americano sancionou a Fincimex e a AIS, duas empresas sob o controle do GAESA envolvidas no negócio de remessas a Cuba.

No ano passado, os Estados Unidos também impuseram sanções individuais contra Raúl Castro, seus filhos e o ministro do Interior cubano.

López-Callejas foi casado com uma filha de Raúl Castro e era um forte candidato ao recém-criado cargo de Primeiro-ministro de Cuba. Apesar de não ter sido nomeado, ele exerceu sua influência para colocar Manuel Marrero como Primeiro-ministro, um militar que chefiava a Gaviota, uma rede de turismo que faz parte do GAESA.

Em setembro de 2018, López-Callejas viajou a Nova York como parte da delegação que acompanhou o líder cubano Miguel Díaz-Canel em sua primeira apresentação na Assembleia Geral das Nações Unidas. O general também acompanhou Díaz-Canel a uma reunião com o Presidente russo, Vladimir Putin, em outubro daquele ano.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites