Redes Sociais

Áustria

Especialista austríaco afirma que valores de CO2 abaixo de máscaras faciais excedem o permitido por lei e podem ser prejudiciais à saúde

Thaís Garcia

Publicado

em

O especialista e Engenheiro austríaco Dr. Helmut Traindl afirmou que os valores de CO2 abaixo de máscaras faciais disponíveis comercialmente podem ser prejudiciais à saúde e que eles excedem o valor máximo permitido no local de trabalho.

O conhecimento adquirido no estudo foi apresentado e publicado exclusivamente pela Sra. Edith Brötzner da iniciativa “Austria is free” e o Wochenblick.

Dr. Helmut Traindl mediu os valores de CO2 na frente da câmera abaixo de uma máscara protetora feita por ele mesmo e duas disponíveis comercialmente. Descobriu-se que os valores máximos permitidos para locais de trabalho foram excedidos muitas vezes. Isso não significa apenas que o uso obrigatório de máscaras prescrito aos cidadãos é uma condição ilegal, mas de acordo com todos os conhecimentos médicos, esse ar respirável também é considerado anestésico agudo e perigoso para a saúde.

O Eng. Dr. Traindl, perito juramentado, engenheiro de proteção técnica do meio ambiente, química técnica e ciências da terra, não apenas realizou medições, mas também explicou em detalhes as bases jurídicas na Áustria e na Alemanha. Se os valores-limite permitidos em um local de trabalho fossem ultrapassados, mesmo que de forma mínima, como ocorre abaixo das máscaras faciais, seria necessário contar com sérias consequências até o fechamento da empresa. Na Áustria, por exemplo, de acordo com a Portaria de valor limite de 2018, um valor máximo de 0,5 % é permitido com pequenos excessos na direção de 1%. Esses valores-limite foram prescritos para jornada de trabalho de 8 horas diárias ou 40 horas semanais. Isso resulta em um excesso de 10 a 20 vezes dos valores permitidos.

Mais de 8% de CO2 por 1 hora pode levar à morte

Alemanha: “valores inaceitáveis de CO2”

As diretrizes e estudos relevantes também estão disponíveis gratuitamente na Internet na Alemanha. Em um extenso artigo de 2008, a Agência Ambiental Federal declarou que concentrações de CO2 abaixo de 1.000 ppm são inofensivas. O valor limite para espaços residenciais na Alemanha é 1.500 ppm. Valores acima de 2.000 ppm, entretanto, são considerados “inaceitáveis”. Ppm significa “partes por milhão” (medida de concentração que se utiliza quando as soluções são muito diluídas) então 1% é 10.000 ppm. Os 50.000 ppm medidos ao vivo excedem, portanto, o valor “inaceitável” em 25 vezes.

As pessoas consideram o ar que respiram de 1 por mil (ou permilagem) CO2 como “insatisfatório”

Em um documento do ministério da Áustria “Diretriz para a avaliação do ar interno”, foi afirmado que as pessoas com um teor de CO2 de 1.000 ppm ou mais começam a perceber o ar respirável como “insatisfatório”. A 3.000 ppm, 50% das pessoas consideram o ar insatisfatório. O gráfico abaixo ilustra os valores-limite aplicáveis ​​na Áustria.

A partir de 4% é “anestésico”, de 8% é fatal!

O vídeo (em Alemão) também explica as graves consequências de valores excessivamente elevados de CO2 para as pessoas, sendo que os valores-guia se aplicam sempre a pessoas saudáveis. Pessoas com problemas de saúde já podem ter problemas com valores mais baixos. Na verdade, o CO2 não é tóxico para os humanos, mas em concentrações muito altas impede a absorção de oxigênio.

O seguinte se aplica: Uma concentração de 8% ou mais de CO2 no ar que você respira por um período de 30 a 60 minutos pode levar à morte. Antes disso, surgem dores de cabeça, falta de concentração e inconsciência. O problema físico é que o CO2 é um gás denso e tende a afundar e se acumular em sumidouros adequados; 4 a 5% são considerados “entorpecentes”.

Em um artigo sobre os riscos do gás de fermentação, os cientistas Eng. Harald Scheiblhofer e Eng. Herbert Stifter explicaram os níveis de perigo em detalhes: sonolência e baixa concentração podem ocorrer a partir de 0,5%, a frequência respiratória e o pulso aumentam e o centro respiratório fica irritado a partir de 2%. A partir de 4%, ocorrem problemas de circulação sanguínea no cérebro, tonturas, náuseas e zumbidos nos ouvidos são possíveis. O traiçoeiro sobre o CO2 é o fato de que você não consegue sentir o cheiro, então leva à morte em grande parte porque chega sem aviso.

Um tópico secundário é apontado no vídeo de Helmut Traindl. Ele diz que vários médicos clínicos gerais relataram em artigos do maior jornal austríaco, o Kronen-Zeitung, sobre as consequências a longo prazo de uma infecção do coronavírus: “muitos dos que foram infectados nas férias de esqui – que são bem jovens e estavam em ótima forma antes – queixam-se de falta de ar, dores de cabeça e fadiga constante”. No entanto, segundo Traindl, todos esses sintomas também coincidem com as consequências clinicamente comprovadas que podem ser esperadas se a concentração de CO2 no ar for muito alta.

Assista, em Alemão, ao vídeo do Eng. e Dr. Helmut Traindl apresentando seu estudo sobre o valores de CO2 abaixo de máscaras faciais neste link.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites