Redes Sociais

Últimas

Eduardo Bolsonaro sobre PC Siqueira: “Estou processando”

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Marcelo Camargo | Agência Brasil

O deputado federal Eduardo Bolsonaro usou o Twitter na manhã desta quinta-feira para comentar o caso envolvendo PC Siqueira.

O youtuber teve supostas conversas vazadas na internet e passou a ser acusado de pedofilia nas redes sociais .

No suposto chat de conversa, o diálogo tratava-se de uma foto de uma criança de 6 anos nua, que teria sido enviada para o influenciador.

A suposta conversa aponta que o influenciador teria dito a algum colega (de identidade não revelada) que a mãe da criança enviou fotos da filha para ele.

O influenciador tinha dito que isso já tinha ocorrido outras vezes.

No Twitter, Eduardo comentou a matéria do Conexão Política sobre o assunto.

“Das poucas pessoas que estou processando ele é uma delas”, escreveu o parlamentar.

A motivação da briga

Em janeiro de 2019, conforme registrado pelo ConJur, o youtuber postou dois vídeos intitulados “O corno da vez é outro” e “O lado podre da família presidencial”, após supostas mensagens ter sido direcionadas ao deputado no twitter sobre um suposto relacionamento do deputado com a jornalista Patrícia Lélis.

Após os ataques, o juiz Leandro Borges de Figueiredo, da 8ª Vara Cível de Brasília, determinou, nesta que o influencer excluísse os vídeos em que se refere à vida sexual do deputado federal.

Ele estabeleceu um prazo de 48 horas.

Na decisão, o magistrado assegurou que ficou evidente a ofensividade dos vídeos, ultrapassando a mera narrativa ou crítica.

“Os vídeos ridicularizam o deputado, não como político ou por sua atuação pública, mas por fator que, verídicos ou não, fazem parte da sua intimidade, podendo causar danos a sua vida privada”, alega.

O juiz cita ainda que os vídeos foram acessados milhares de vezes e sua manutenção acarreta ‘prejuízos indeléveis’.

“Com relação a pessoas públicas, deve ser avaliado o conteúdo e sua veracidade para verificar eventual abusividade no exercício da liberdade de expressão”, assegurou ele na decisão.

Professor, cristão, colunista, e redator. Amo ciências políticas, sou conservador e nordestino com orgulho.

alan correa criação de sites