Redes Sociais

China

Dono de livraria é condenado a 7 anos de prisão por vender material religioso não aprovado pelo Partido Comunista Chinês

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

Um cristão chinês que opera uma livraria online foi condenado a sete anos de prisão por vender material religioso que não foi aprovado pelo governo do Partido Comunista Chinês, segundo um documento do Tribunal Popular da Cidade de Linhai, compartilhado pelo Padre Francis Liu da Sociedade Cristã Chinesa de Justiça.

A International Christian Concern (ICC) relatou que Chen Yu foi acusado de “operações comerciais ilegais” em 27 de setembro. Além de receber uma multa de US $ 29.450, o Escritório de Segurança Pública da cidade de Linhai, na China, planeja destruir 12.864 livros cristãos de sua livraria.

Chen, que dirigia sua livraria na cidade de Taizhou, província chinesa de Zhejiang, foi preso em 1º de setembro. A polícia local abriu uma investigação para localizar seus clientes anteriores e, em seguida, apreender os livros que eles compraram.

Gina Goh, Gerente Regional do ICC para o Sudeste Asiático, disse: “A sentença do Sr. Chen Yu mostra como o governo chinês está cada vez mais assustado com todas as coisas religiosas. De símbolos religiosos, dísticos chineses a livros cristãos, qualquer coisa que contenha elementos religiosos é não mais tolerado pelo Partido Comunista Chinês”.

“A condenação desproporcional de cristãos, como o pastor Wang Yi e Chen Yu, da igreja ‘Pacto da Chuva Temporã’ sob a mesma acusação, implica que a repressão ao Cristianismo só vai se intensificar. O governo dos EUA e a comunidade internacional devem continuar a enfrentar a tirania em Pequim “, continuou.

A perseguição religiosa pelo Partido Comunista Chinês se intensificou à medida que funcionários do governo pressionam os cristãos a seguir regras e regulamentos específicos ou enfrentar as consequências.

A comunidade religiosa é vista como uma ameaça ao regime ditatorial comunista de Xi Jinping. Há mais cristãos na China do que membros do Partido Comunista. E esta é uma realidade que está tirando o sono dos comunistas na China.

Hoje, acredita-se que existam 97,2 milhões de cristãos na China, que enfrentam a hostilidade vindas de oficiais do governo, partidos políticos e líderes religiosos não-cristãos. A opressão comunista é um instrumento para que o governo mantenha seu poder sobre a sociedade. Xi Jinping tem se mantido no poder por meio de um forte combate a qualquer ideia que possa ameaçar a autoridade máxima dele.

Um pastor da cidade de Shenzhen, na província de Guangdong, no sul, disse à Bitter Winter: “As pessoas que compram livros cristãos são fiéis praticantes, então o governo analisa o quanto são perigosos para a estabilidade de seu regime”.

“O Partido Comunista fez muitas ações vergonhosas e continua a reprimir as pessoas. Nosso governo está com a consciência pesada”, acrescentou o pastor chinês.

Leia também: Dona de editora chinesa é presa e está sob tensão considerável após repetidos interrogatórios, diz advogado

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »
alan correa criação de sites