Redes Sociais

Brasil

Defensor da cloroquina, anestesiologista Luciano Azevedo é nomeado por Weintraub para Conselho da CAPES

Redação

Publicado

em

Reprodução/ TV Cultura

Nesta segunda-feira (8), foi publicado no Diário Oficial a nomeação do médico anestesiologista Dr. Luciano Dias Azevedo para o Conselho Superior da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), feita pelo Ministro da Educação Abraham Wentraub.

A publicação no Diário Oficial diz:

PORTARIA Nº 514, DE 5 DE JUNHO DE 2020

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, em conformidade com o disposto no art. 17, inciso II, alínea b c/c §§ 3º, 6º e 7º do Estatuto da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes, aprovado pelo Decreto nº 8.977, de 30 de janeiro de 2017, e considerando o que consta do Processo nº 23123.006401/2017-39, resolve:

Art. 1º Declarar a perda do mandato de Denis Benchimol Minev, como representante do setor empresarial no Conselho Superior da Capes, designado pela Portaria MEC nº 549, de 11 de junho de 2018.

Art. 2º Designar Luciano Dias Azevedo para integrar o Conselho Superior da Capes, como representante do setor empresarial, em substituição a Denis Benchimol Minev.

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

ABRAHAM WEINTRAUB

Em entrevista ao Conexão Política, Luciano Azevedo disse que a nomeação foi uma agradável surpresa.

“Fiquei sabendo por meio da grande mídia, e estou muito grato pela imensa confiança a mim depositada. O cargo não causa dano ao erário, pois é voluntário, ou seja, prestado de forma gratuita”, disse o médico.

Para Azevedo, a possibilidade de fazer algo mais pelo Brasil de forma voluntária é uma das razões que mais o motiva a “dar seu sangue” pela causa.

“Meu trabalho voluntário sempre foi na área de saúde, agora posso fazer algo a mais em outra área de atuação”, completou Azevedo.

No Twitter, Dr. Luciano Azevedo agradeceu aos irmãos Weintraub pela confiança nele depositada.

“Agradeço ao Ministro Abraham Weintraub e ao Arthur Weintraub que tanto têm feito pelo nosso País. Agradeço a confiança em mim depositada ao longo dessa jornada. O cargo é não-remunerado e por isso, mais VALOROSO e de grande HONRA para mim. Obrigado”, disse o médico.

Currículo

Alinhado com as pautas do Governo Bolsonaro, Luciano Azevedo é cristão conservador e afirma que entre suas prioridades está Deus, família, medicina, amigos, ler e o triatlon, modalidade que pratica.

Azevedo é formado em Medicina pela Unicamp e especializado em residencia médica pela mesma instituição. Ele é ex-oficial médico da Marinha do Brasil na Amazônia, no posto de segundo tenente, no qual possui grande experiência em trabalhos em projetos de implantação de hospitais e treinamento profissional no interior da Amazônia, dentro de navios-hospitais e atendendo a populações ribeirinhas e indígenas da região.

Azevedo também integra o Docentes Pela Liberdade (DPL), movimento que reúne professores em mais de 40 universidades públicas e privadas de 22 estados e do DF, em torno de pautas conservadoras, em defesa da liberdade de pensamento, especialmente dentro das universidades. O movimento está ativo e presente em várias cidades, como Londrina, Brasília, Porto Alegre, Aracaju, Recife, Cuiabá, Montes Claros, Viçosa, Campinas e em alguns outros locais, como Vitória, Rio Branco, Palmas e Natal.

Luciano Azevedo foi um dos assinantes da Carta Aberta de apoio ao Ministro da Educação Abraham Weintraub , escrita pelo movimento Docentes Pela Liberdade (DPL) e publicada pelo Conexão Política nesta última sexta-feira (5).

Atualmente, o anestesiologista atua como profissional de saúde, emergencista e trabalha em local de altíssima exposição ao coronavírus chinês.

Desde o início da pandemia, Dr. Luciano Dias Azevedo faz parte do grupo de profissionais da saúde com quem o presidente Jair Bolsonaro tem se aconselhado. Fazem parte também deste comitê o ex-ministro da Cidadania Osmar Terra, a doutora em oncologia e imunologia Nise Yamaguchi e o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres.

Hidroxicloroquina

Dr. Luciano Azevedo é um grande defensor do tratamento precoce de pacientes de covid-19 com hidroxicloroquina+azitromicina+zinco. Ele também defende protocolos de prevenção à pessoas que trabalham em local de altíssima exposição ao vírus chinês, pois são mais suscetíveis e vulneráveis à infecção de coronavírus. Segundo o médico, esses protocolos vêm salvando vidas em vários países.

O anestesiologista tem participado de entrevistas realizadas em várias mídias. Recentemente, em uma participação em um debate na TV Cultura, o médico afirmou que a combinação da hidroxicloroquina, azitromicina e o zinco oferece uma saída para pacientes de covid-19. Ele disse que o tratamento precoce com o coquetel está conseguindo fazer as pessoas retornarem rapidamente ao mercado de trabalho.

“Durante um tempo, sem produtividade, a população [do Brasil] vai sofrer, ainda mais num país subdesenvolvido, que tem poucos recursos. Os dados que nós temos de fora do país, como na Itália, são de que as medicações que eles estão usando estão conseguindo abreviar o tempo de doença e colocar a pessoa logo no mercado de trabalho”, disse o médico.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

O Conexão Política é um portal de notícias independente — compromissado em transmitir os fatos. Analisamos e cobrimos os principais assuntos da política. Contribua: apoia.se/conexaopolitica

alan correa criação de sites