Redes Sociais

Últimas

Ciro compara Bolsonaro a Hitler: “Não podemos ser delicados”

Marcos Rocha

Publicado

em

Imagem: Reprodução/Ex-ministro Ciro Gomes desafia Sérgio Moro em vídeo.

O pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, criticou nesta quarta-feira (30) a proposta do deputado federal e líder das pesquisas Jair Bolsonaro de chamar cinco generais para assumir ministérios em eventual governo.

O concorrente [Bolsonaro] diz aí que vai botar metade de seu ministério com generais. Essa posição imbecil e boçal que é”, disse o petebista durante evento em São Paulo.

Ciro tambem disse que não poderia ser “delicado”, tampouco amenizar as criticas a Bolsonaro:

“Fomos delicados com Hitler durante um tempo e olha no que deu.”

O pedetista diz que o deputado representa uma “ameaça de aprofundamento da crise”.

Em entrevista ao site Poder360 há três dias, Bolsonaro disse que, caso seja eleito, nomeará ao menos cinco militares para chefiar as pastas de seu governo.

Sobre o tema, Ciro também limitou-se a dizer que “o sistema presidencialista exige que os ministérios sejam para além de uma ferramenta institucional de formulação e execução de políticas públicas, mas sejam também mediadores no grande entendimento da política nacional para que as políticas públicas se viabilizem.

OPINIÃO

MAIS DO MESMO – Ciro Gomes – com seu mau-caratismo ocultado por uma retórica afiada – nada difere daquilo que assola o país há décadas. Ele entende que o método norteador da formação ministerial tem de ser política, ou seja, a distribuição de ministérios entre partidos com o fito de tentar aprovar seus projetos junto ao Parlamento deve continuar.

É, sem dúvidas, o candidato MAIS PERIGOSO para o Brasil.

 

 

 

 

 

Editor-chefe do Conexão Política; residente e natural de Campo Grande/MS | FALE COMIGO: [email protected]

alan correa criação de sites