Redes Sociais

Últimas

Carlos, Eduardo Bolsonaro e Bene Barbosa se desentendem

Marcos Rocha

Publicado

em

Imagem: Reprodução

Na tarde desta quinta-feira (10), uma discussão entre o vereador Carlos Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o analista de segurança, articulista e palestrante Bene Barbosa, repercutiu nas redes sociais, especialmente no Twitter.

O desacordo se deu em razão de uma minuta, publicada pelo SBT, onde se afirmava que o decreto que facilitará a permissão para a posse de armas – já anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro – pode incluir a exigência de se ter um cofre em casa. Ainda de acordo as informações do SBT, o texto ainda prevê a declaração de necessidade para a posse e o limite de duas armas por interessado.

Bene Barbosa, que é especialista em armas de fogo e segurança pública, fez uma publicação em resposta a um tweet do deputado federal Eduardo Bolsonaro, que pedia cuidado a quem critica “aquilo que não conhecem”.

“Olá, deputado. Concordo plenamente, sendo assim, peço que o governo publique a minuta antes da aprovação. Depois que estiver no D.O.U a Inês é morta”.

O vereador Carlos Bolsonaro, em seguida, respondeu:

“Bene, com todo respeito, acho que deveria falar menos do que não sabe dos fatos. Está muito estranho essa antecipação! Por que?”.

Bene Barbosa replicou:

“A minuta que o SBT publicou era falsa? Quais são os fatos? São 30 anos trabalhando e abrindo mão de muita coisa, desculpe, mas isso me dá um pouquinho de direito de comentar o que eu bem entender. Não se trata de antecipação, mas de cuidado. Entendeu o porquê?”.

O especialista, posteriormente, ainda fez um novo tweet a Eduardo Bolsonaro:

“Pergunto agora pra você como deputado e não como filho do presidente: acha aceitável a obrigatoriedade de cofre para arma de defesa e o limite de duas armas, isso claro, se realmente isso está na minuta. Conheço seu posicionamento e sei que não acha. Abraços.”

Eduardo respondeu da seguinte maneira:

Por isso, Bene. Pq estamos falando de cofre (o que é absurdo) se nem sabemos se isto está previsto no decreto? Isso é matéria plantada para desgastar o único governo capaz de reverter a atual situação das armas. Vamos seguir com mais pautas propositivas e menos especulações”.

Por fim, Bene questionou se a minuta divulgada pelo SBT era falsa, mas até o fechamento desta matéria nenhum dos filhos de Bolsonaro que estavam envolvidos na discussão (Eduardo e Carlos) replicou.

Bene Barbosa, posteriormente, ainda fez um tweet afirmando que estaria cansado de “dar murro em ponta de faca e ainda tomar porrada de quem deveria agradecer nosso empenho”.

“Para mim o assunto está encerrado neste momento. (…) Só me manifestarei novamente sobre esse tema quando o decreto das armas estiver publicado no D.O.U.”

OPINIÃO DO COLUNISTA

Espero que o presidente, para a elaboração do decreto, ouça os representantes da causa armamentista. Bene Barbosa é um grande estudioso e está nessa luta há muito tempo, tanto é verdade que este deveria, no mínimo, PARTICIPAR da elaboração do texto. Também espero que essa minuta divulgada pelo SBT não se confirme, sobretudo porque não há como compactuar com um conceito de meia liberdade, tampouco um meio direito, com pré-requisitos absurdos e ineptos. Aguardemos!

 

CONTATO: [email protected] | Residente e natural de Campo Grande/MS, assistente de gabinete junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), estudante de Ciências Jurídicas e editor-chefe do Conexão Política.

Publicidade
15 Comentários

15 Comments

  1. Guilherme

    12.01.2019 at 06:59

    Já tô arrependido de ter votado no Bolsonaro vou paga 5000 mil numa pistola pra deixa em casa enrolada né um pano dentro de um cofre ridículo tudo isso dentro de casa não tem assalto nem ladral o crime tá na rua na volta pra casa noite.vai pro inferno esse moro de merda eu votei né Bolsonaro não foi né moro

  2. Fabio Martins

    12.01.2019 at 04:03

    São tão moleques que agora o sbt quer derrubar o governo , a emissora que aceitou o jogo sujo de tentar limpar a sujeira do caso Queiroz agora é golpista.

    O país foi entregue a uma família de retardados.

  3. Fabio

    12.01.2019 at 02:24

    Sorria , vcs foram enganados.

  4. Yahdi3434aS

    11.01.2019 at 13:36

    O analista de segurança, articulista e palestrante deu o seu “pitaco” na hora errada. O assunto ainda está sendo discutido e tratado entre os especialistas em segurança nacional, e que também tem conhecimento técnico e prático sobre o manuseio e porte de arma de fogo, cujos não se tratam de especuladores sobre o assunto. Eu por exemplo portei armas de fogo por mais de 15 anos inclusive uma .40 e nunca optei por um cofre. Antes eu guardava em local seguro apenas as munições. Deixava a arma em lugar fácil de encontrar para se numa eventual invasão de bandidos na residência eles não viesse ferir ninguém por conta de não encontrar uma arma.

    • Julian

      11.01.2019 at 14:59

      Pitaco na hora errada ? tais de sacanagem né o cara ta 30 anos dando o que vc chama de pitaco, vai vc aprender um pouco do assunto ja que portou uma arma por 15 anos, pelo tipo nao aprendeu, BENE ta mais que certo de dar pitaco sim, pois essa causa ele defendeu em campanha e agora ta tudo diferente nesse decreto, Proprio MORO ja falou sobre tal cofre, 10 homicídios por 100mil h o que é uma vergonha. e 2 armas então esse decreto tem verdade sim e ta uma bosta ao meu ver e de todos que querem sua liberdade garantida, melhor ter deixado como estava.

    • Sandro Ramos

      11.01.2019 at 22:29

      Se ainda está se discutindo ele deu o pitaco na hora H…

  5. ASSIS SILVA

    10.01.2019 at 22:54

    Já não acredito mais em mudanças, mas sim em um decreto que vai mudar frases e palavras, para manter o que já existe, dando a impressão que nosso presidente fez cumprir sua promessa de campanha . Gostaria muito de estar errado.

  6. Ademir Macedo

    10.01.2019 at 22:53

    Esse assunto melhorou 200 % minha vida . Vagabundos!

  7. Jones

    10.01.2019 at 22:47

    O estado brasileiro sempre lutou contra o seu próprio povo. Desde a colonização até o dia de hoje. O estado brasileiro não quer a liberdade, mas sim a escravidão cidadã. O próprio Bolsonaro votou a favor da manutenção do Voto obrigatório na ”reforma política”, o mesmo voto do desafeto dele, Jean Willys . A questão do armamento, Bolsonaro não vai fazer grandes mudanças, pois ele já repete o chavão dos socialistas: ”estado democrático de direito”. Ele veio para manter as instituições, as mesmas que agrilhoam o cidadão brasileiro diuturnamente. As frases de efeito dele: vc prefere um papel com a lei do feminicidio ou uma 9 mm na bolsa ? Ele usa e usou a velha retórica que encanta os incautos mundo a fora. Bolsonaro tem família, tem suas economias, já tem seus sessenta e poucos anos, ele não é doido de jogar tudo para o ar para fazer a verdadeira reforma que esse país precisa. O governo, a republica e suas ramificações odeiam o seu próprio povo. Pesquisem o histórico de revoltas brasileiras contra o estado. Canudos, Contestado etc. O governo tem medo e quer manter as coisas como sempre. Somos iguais a cães adestrados, um petisco ali, outro acolá, e assim segue o jogo.

  8. Hélio

    10.01.2019 at 22:00

    Concordo com o Bene Barbosa, parece que nosso Presidente que tanto defendeu e fez sua campanha encima de derrubar o estatuto do desarmamento, vai se igualar aos outros presidente do passado dificultando ainda mais vida cidadac de bem espero que não dei meu voto e de todos os votos que conquistei errado p mim arrepender mais ainda ah esperance tamos só começo do governo Bolsonaro.

  9. Nelio José de Carvalho

    10.01.2019 at 20:21

    Com cofre ou sem cofre essa discussão de liberação para compra de armas é tão bizarra quanto a necessidade de meninos vestirem roupas de cor azul e as meninas rosa. Temos mais de 13 milhões de desempregados, a saúde e a educação estão indo. Ladeira abaixo. Estamos discutindo o sexo dos anjos enquanto o Brasil rola ladeira abaixo. Liberar armas neste momento é tentar mascarar a ineficiência do estado em solucionar a violência que assola o país. Falta do que fazer quando se tem muito o que fazer

  10. Rubens Pires

    10.01.2019 at 19:22

    Exigência de cofre, além de descabida é perigosa. Se a arma é para defesa do domicílio precisa estar sempre pronta para o uso pois nunca se pode prever da sua necessidade. Quanto ao cofre, saibam que, residências com cofres se tornam alvos prioritários da bandidagem o que acrescenta um risco a mais para quem quer se defender numa emergência…

  11. Valdir de Souza

    10.01.2019 at 17:15

    Tô achando o Eduardo muito mimadinho, concordo com o Bene Barbosa.

  12. Helio Trindade Ifbb-df

    10.01.2019 at 17:09

    O cofre na residência tudo bem agora no comércio fica sem pé!

  13. Jobson Bronson

    10.01.2019 at 16:38

    Concordo com o Bene Barbosa. Ele está certo. Por decreto, pode-se deixar de exigir comprovações para posse (cumpriu os 5 requisitos, o governo DEVE emitir a autorização de compra da arma), já que a letra do Estatuto fala apenas em “declaração” de efetiva necessidade. E também o porte, pode-se flexibilizar a questão da “comprovação”. Esse negócio do cofre é inadmissível.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites