Camilo Santana elogia governo Bolsonaro e critica presidentes anteriores

Autor: 4 Comentários Compartilhar:
Imagem: José Cruz | Agência Brasil

O governador do Ceará, Camilo Santana, elogiou o governo de Jair Bolsonaro e criticou presidentes anteriores por não agirem para enfrentar efetivamente o problema da insegurança no País. Para Camilo, os governos anteriores, inclusive pertencentes ao seu próprio partido, foram omissos.

A afirmação foi concedida na manhã desta sexta-feira (11) para uma rádio em Fortaleza.

“Eu não estou criticando o governo atual não. Muito pelo contrário. Governo tem dado todo o apoio. Eu estou criticando todos os governos que passaram, inclusive do meu partido, que foram omissos nesta área da segurança pública”, reclamou.

Camilo destacou também a atenção que recebe principalmente do atual ministro da Justiça, Sérgio Moro.

“Em primeiro lugar quero aqui registrar todo apoio que tenho tido do Governo Federal. Eu tenho mantido contato com o ministro Sérgio Moro da Justiça que prontamente me atendeu com a presença da Força Nacional aqui no Ceará que prontamente nos atendeu com a abertura de vagas no Sistema Prisional Federal para que eu pudesse garantir a transferência. Repito. Estou tendo todo apoio e parceria do Governo Federal neste momento no Ceará”, reforçou.

Em seguida, Camilo afirmou que os estados precisam ter autonomia para gerir suas próprias leis. O governador reiterou que aprovou uma lei que fazia o bloqueio de aparelhos celulares nos presídios, mas a norma foi considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“[Para] tudo nós dependemos da União. Se tudo depende da União, há uma responsabilidade da União sobre esse tema. Eu lembro do caso dos bloqueadores dos celulares nos presídios. Aprovamos uma lei na assembleia. Fizeram até uma ameaça a carro-bomba na porta da assembleia. Tivemos a coragem e a assembleia votou eu sancionei e o STF não aprovou a lei alegando que nós não tínhamos autonomia para legislar sobre o tema. Eu não tenho autonomia para legislar”, criticou o governador.

Camilo também aproveitou para questionar as leis penais no País, que segundo ele, são frouxas. 

“Se você coloca uma bomba em um viaduto era para ser considerado no Código Penal Brasileiro crime de terrorismo, mas não é. Porque nossa legislação está falha. Então, é preciso uma pactuação nacional. Primeiro, é preciso rever as leis deste País. São leis frouxas. Você tem que enquadrar uns criminosos desses danos ao Estado. Se for enquadrar em terrorismo, a pena é muito maior”, disse.

Por fim, o governador reforçou que o Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública do Nordeste trabalha desde dezembro de 2018 e já ajudou a evitar muitos crimes. 

Post anterior

Davy Albuquerque visita clube de tiro no Rio de Janeiro

Próximo post

Bolsonaro sanciona lei que cassa por 5 anos CNH de condenados por contrabando

Você pode gostar também:

4 Comentários

  1. Gostaria muito de um artigo aqui analisando o que está acontecendo no Ceará e as declarações surpreendentes deste governador petista. Como entender isto?.

  2. O Nordeste, a despeito dos interesses de legendas que o controlam há décadas é formado por brasileiros trabalhadores que merecem segurança pública e desenvolvimento para se libertar das promessas escravizantes. O então governador demonstra bom senso em buscar trabalhar com a gestão federal e reconhecendo as promessas vazias de seu próprio partido. Já questionaram recentemente a falta de ministros nordestinos neste governo. Anteriormente havia um expressivo número de ministros e pessoas do 2º escalão oriundas do NE, que nunca projetaram real desenvolvimento para a região.
    O Nordeste precisa deixar de ser uma região que subsiste para ser aquela que se desenvolve, necessita atrai investimentos estrangeiros em indústrias e tecnologia, agricultura e mobilidade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.