Redes Sociais

Coronavírus

Boris Johnson substitui o slogan “fique em casa” por “fique alerta”

O primeiro-ministro britânico falou neste domingo (10) sobre seus planos para relaxar as medidas de bloqueio

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Getty Images

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu substituir o slogan “fique em casa” por “fique alerta”. Em um discurso televisionado neste domingo (10), ele falou sobre os planos de seu governo para relaxar as medidas de bloqueio.

Sistema de alerta

Johnson está introduzindo um novo sistema de alerta que permitirá a rápida identificação do desenvolvimento de infecções por coronavírus chinês no Reino Unido. Este sistema de alarme pode colaborar com a tomada de medidas locais em relação à epidemia.

O sistema gira em torno de 5 fases, cada uma com sua própria cor. O sistema é baseado em fases de alarme que foram introduzidas anteriormente para alertar contra o terrorismo.

A quinta fase de alarme vermelho é então a mais perigosa. O país está agora na fase 4, segundo Johnson.

O sistema de alarme é uma das medidas que devem permitir relaxar as restrições passo a passo. Mas o bloqueio na Grã-Bretanha não terminará imediatamente, de acordo com o primeiro-ministro britânico.

“Agora não é hora de simplesmente encerrar o bloqueio esta semana. Em princípio, ele será mantido até 1º de junho, mas estamos dando os primeiros passos cuidadosos para relaxar as medidas”, disse Johnson.

A partir desta segunda-feira (11), por exemplo, aqueles que não puderem trabalhar em casa serão ativamente incentivados a ir para o trabalho, segundo Johnson. E a partir desta quarta-feira (13), as pessoas poderão se exercitar ao ar livre indefinidamente, desde que sigam as diretrizes de distanciamento social.

“Você pode se sentar ao sol no parque local, pode dirigir para outros destinos, até praticar esportes, mas apenas com membros de sua própria casa”, disse Johnson.

O primeiro-ministro pediu às pessoas que “fiquem atentas” aos riscos e que continuem com as boas práticas [de higiene] e distanciamento social.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »
alan correa criação de sites