Redes Sociais

Política

Bolsonaro diz esperar ‘sinal da população’ para tomar providências contra medidas de restrição

A declaração, segundo ele, não é uma ameaça,

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Carolina Antunes | PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (14) que aguarda ‘uma sinalização’ da população para ‘tomar providências’ contra medidas de restrição aplicadas por Estados e Municípios no combate à Covid-19.

O chefe do Executivo voltou a dizer que o Brasil terá problemas ainda maiores se a política do ‘tranca-tranca’ permanecer em atividade.

O discurso ocorreu na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília, enquanto o mandatário conversava com apoiadores. Ele criticou, mais uma vez, governadores e prefeitos que insistem em fechar o comércio.

“O Brasil está no limite. Pessoal fala que eu devo tomar providências. Estou aguardando o povo dar uma sinalização”, afirmou.

“Porque a fome, a miséria, o desemprego, estão aí, só não vê quem não quer, quem não está na rua. Eu sempre estive na rua”, reiterou.

Na sequência, disse que a população pede para que ele ‘tome providências’.

“A temperatura está subindo, a população está cada vez numa situação mais complicada. Eu gostaria que o pessoal que usa paletó e gravata, que decide, visite aí a periferia, converse com a população, converse com a sua empregada doméstica em casa, esta não está impedida de trabalhar.”

“Só digo uma coisa: eu faço o que o povo quiser que eu faça”, acrescentou.

E finalizou dizendo:

“Eu não estou ameaçando ninguém, mas estou achando que brevemente teremos um problema sério no Brasil. Dá tempo de mudar ainda. É só parar de usar menos a caneta e um pouco mais o coração.”

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.