Redes Sociais

Coronavírus

Bares e restaurantes poderão reabrir em 22 de junho no Reino Unido, atendendo clientes ao ar livre

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

Boris Johnson marcou 22 de junho como a data em que os bares e restaurantes em todo o país poderão reabrir, informou o Financial Times.

Johnson quer acelerar a flexibilização do bloqueio para que o setor de Turismo, Hotelaria e Restaurante não seja ainda mais prejudicado, podendo custar mais de três milhões de empregos.

De acordo com o jornal, os bares e restaurantes poderão receber seus clientes novamente, embora eles só possam ser atendidos ao ar livre.

A atual estratégia de saída de bloqueio do coronavírus chinês do governo britânico sugeria que os bares e restaurantes não teriam permissão para reabrir até o dia 4 de julho, mas três fontes separadas do governo disseram ao Financial Times que 22 de junho é a data prevista nos relatórios dos ministros.

Espera-se que o gabinete discuta a mudança em uma reunião nesta terça-feira (9).

Atualmente, bares e restaurantes que desejam colocar mesas e cadeiras na calçada precisam de uma “licença de assento ao ar livre” de sua autoridade local, o que pode levar semanas para ser aprovado. Os ministros querem reduzir os tempos de aprovação e estão considerando cortar a taxa, que pode chegar a 500 libras por ano.

Também estão sendo elaborados planos para permitir que pequenas lojas, onde o distanciamento social é difícil, operem em barracas de estilo comercial na calçada do lado de fora de suas instalações.

Os parlamentares conservadores estão se unindo ao setor de Turismo, Hotelaria e Restaurante, alertando que haverá poucas perspectivas de recuperação, enquanto a “regra dos dois metros de distância” permanecer.

A França, Dinamarca e China usam a “regra de 1 metro”, enquanto Alemanha, Austrália e Holanda usam a de “1,5 metro”.

Johnson indicou na semana passada que simpatizava com a redução do limite.

O ex-líder conservador Iain Duncan Smith disse que a medida é essencial.

“A regra dos dois metros simplesmente não funciona em bares e restaurantes – também não funciona em escolas nem em transportes públicos. Outros países operam com limites menores…O PM precisa se libertar dessa armadilha e abandonar a regra dos dois metros, caso contrário não teremos mais economia”, disse Smith.

Johnson confirmará nesta semana se lojas de varejo não-essencial, como lojas de roupas e calçados, lojas de departamento e varejistas do setor de eletricidade, poderão reabrir a partir de segunda-feira, 15 de junho.

Em uma reunião na semana passada, o secretário de negócios Alok Sharma disse a Johnson que até 3,5 milhões de empregos poderiam ser perdidos, a menos que setor de Turismo, Hotelaria e Restaurante pudesse reabrir em breve.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »
alan correa criação de sites