Redes Sociais

EUA

A fé e as opiniões políticas de Chuck Norris: “Os verdadeiros patriotas não evitam discutir religião e política”

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: © Chuck Norris

Chuck Norris cresceu em meio a pobreza em Ryan, zona rural de Oklahoma, nos EUA. Tinha uma mãe temente a Deus e um pai alcoólatra. Seus heróis de infância foram as estrelas do cinema caubói do passado: Roy Rogers, John Wayne, Gene Autry e Hopalong Cassidy. No Velho Oeste cinematográfico, o bem sempre triunfou sobre o mal. É um tema que levou Carlos, ou como o conhecemos hoje, Chuck Norris, das dificuldades à integridade.

Crescendo, sem ter um pai por perto, Norris admite que era um jovem muito inseguro e teve que criar sua própria imagem de pai. A imagem de um herói caubói se tornou a imagem do pai que ele gostaria de ter. O pai de Chuck abandonou a família, então, sua mãe se mudou com seus três filhos para a Califórnia. A vida era difícil, mas ela era uma mulher que confiava em Deus. Hoje, sua mãe, Wilma Norris Knight, tem 99 anos de idade.

Aos 12 anos de idade, Norris assumiu um compromisso com Jesus. Durante uma cruzada evangelística do Reverendo Billy Graham, ele entregou sua vida ao Senhor e, no mesmo ano, foi batizado. Infelizmente, muitas vezes na indústria do entretenimento, os artistas perdem de vista o que realmente é importante na vida. Foi quando Norris se desviou de Cristo e passou a viver uma vida secular, perdendo até o seu casamento.

Por crescer extremamente tímido e introvertido durante toda a sua vida, não tendo um físico atlético e um pai por perto, Norris nunca praticou tanto esportes. Apenas quando ele saiu do colégio para a Coreia é que ele foi exposto às artes marciais pela primeira vez. Norris se apaixonou completamente pela habilidade física das artes marciais.

Depois de servir na Força Aérea dos EUA, Chuck Norris voltou ao seu país e imediatamente capitalizou seu treinamento em artes marciais. Em uma década, ele foi seis vezes campeão mundial invicto de Karatê de pesos médios e dono de várias escolas desse mesmo esporte. Seu nome era sinônimo de artes marciais. Em meados dos seus 30 anos, Norris deu um salto gigantesco para atuar. Ele protagonizou seu primeiro filme, “Os Bons Se Vestem de Negro”, em 1978. Chuck se tornou um sucesso de bilheteria.

Deus bate à porta

A morte de Dan Blocker, Bruce Lee, Steve McQueen, Michael Landon, Lee Atwater e Robert Urich, cada caso, teve um efeito significativo e profundo em Norris. Segundo o ator, a morte que mais o afetou foi de Lee Atwater, que foi gerente de campanha do ex-presidente americano George Bush Sênior. Lee tinha trinta e poucos anos, quando teve um tumor no cérebro. Norris foi visitá-lo quando ele estava morrendo no hospital. Lee deixou apenas um grupo muito seleto de pessoas entrar para vê-lo, e Norris teve a sorte de ser uma dessas pessoas.

Durante a visita, Lee olhou para Norris e fez um gesto para que ele se aproximasse. Ele começou a tentar falar com Norris, que precisou se abaixar porque o amigo mal conseguia sussurrar. Lee apenas disse à Norris: “Chuck, confie no Senhor. Eu te amo.”

Essa foi a última coisa que Lee disse antes de morrer. Norris ficou em estado de choque, recuou e teve que sair imediatamente porque estava começando a chorar. Ele entrou no carro e ali chorou. As palavras de Lee “confie no Senhor” penetraram no fundo de sua alma.

Foi então que Chuck Norris percebeu que tinha se afastado de Cristo. Mas ele ainda estava tão envolvido no campo do entretenimento e tentando ter mais sucesso em sua atuação que, novamente, deixou escapar a chance de voltar a Deus.

Questões como fé, salvação, vida eterna em Cristo, relacionamento com Deus e o sentido da vida ficaram novamente em segundo plano, pois sua fama e fortuna ocupavam o trono. Afinal, Norris estava aproveitando o sucesso como celebridade e de sua série de televisão, “Walker, Texas Ranger”.

Finalmente, seu melhor amigo lhe disse: “Você precisa se recompor. Você realmente não é um cara feliz. Há uma mulher que eu quero que você conheça. Eu vou convidá-la para ir a Dallas”. Foi quando Norris foi apresentado para sua atual esposa, Gena Norris.

Na época, Gena não sabia quem era Chuck Norris, nem que ele havia lutado com Bruce Lee. Ela estava criando dois filhos, e trabalhava muito. Não tinha tempo para assistir TV.

As origens de Gena são muito semelhantes a de Chuck porque ela também foi criada em uma infância batista e amava Jesus de todo o coração, mas se desviou de Cristo completamente. Então, aos 26 anos, ela teve uma conversão genuína.

Em seu livro, “Against All Odds” (Contra Todas as Probabilidades – tradução livre), Chuck Norris francamente compartilha como ele e Gena foram ambos trazidos de volta a um relacionamento de compromisso com Cristo, enquanto viviam juntos antes de se casarem. Eles falam abertamente sobre o pecado da fornicação em que estavam – uma palavra rara hoje em dia, que significa sexo fora do casamento – e como seu pastor os ensinou sobre uma vida em santidade com Cristo e a necessidade do arrependimento e do perdão de Deus. Foi o momento decisivo na vida dos dois e do relacionamento deles. Gena conta que “quando você tem o Espírito Santo reinando dentro de si, não tem como fugir. Ele te convence do pecado e de que está violando seus próprios princípios, padrões e ética”.

Chuck e Gena Norris

A Verdade que liberta

Chuck e Gena entendem a necessidade de viver e praticar a fé. Segundo o casal, “viver o que você fala e crê” é a forma correta de testemunhar e ensinar o caminho a seus filhos, netos e outras pessoas que talvez estejam pensando em caminhar com o Senhor e que o observam.

Quando Norris escreveu o livro, o casal queria abrir a alma. Eles queriam que as pessoas soubessem dos muitos erros que cometeram na vida, mas que Jesus perdoa pecados e que a Verdade liberta. Em Cristo, Chuck e Gena começaram uma nova vida juntos. E em pouco tempo, eles receberam companhia. Os gêmeos Dakota e Danilee agraciaram o lar dos Norris com uma alegria especial.

Atualmente, quando Norris olha para trás, e lembra do garoto tímido, do pai bêbado e dos fracassos da vida, ele reconhece a graça e a misericórdia de Deus e é grato a Ele.

“É incrível porque as pessoas vêm até mim e dizem: ‘Chuck, você é o cara mais sortudo do mundo por ser campeão mundial de karatê e estrela de cinema e TV’. Quando eles me dizem isso, eu meio que sorrio porque a sorte não tem nada a ver com isso; teve a ver com Deus”, diz Chuck Norris.

Fé refletindo na política

E contra todas as probabilidades, assim como diz o título de seu livro, Chuck Norris se tornou mais do que apenas uma estrela de cinema e televisão de Hollywood. Apesar de ser mais conhecido por seus filmes de artes marciais e programas de televisão e pela proliferação de piadas sobre como “ele é incrível”, ele é na verdade um comentarista social / político / religioso ativo.

Para Norris, quando se trata de religião e política, essas duas são em grande parte uma unidade homogênea. Norris é muito franco sobre suas opiniões religiosas e como elas afetam sua política. De acordo com Norris: “os verdadeiros patriotas não evitam discutir religião e política”.

Norris está em uma cruzada. Uma cruzada para manter a influência do Cristianismo sobre as políticas públicas americanas. Seja alertando os americanos em suas escolhas em eleições presidenciais, incentivando que as escolas públicas dos EUA também ensinem o criacionismo, participando do conselho de diretores do Conselho Nacional do Currículo Bíblico nas Escolas Públicas – uma organização dedicada a essa causa – ou até mesmo protestando contra projetos de leis que querem obrigar líderes cristãos a realizar uniões homo afetivas.

Chuck Norris também escreveu alguns livros sobre o cristianismo. Seu livro mais citado é o “The Justice Riders” (Os Cavaleiros da Justiça). Ele também é colunista em um site conservador cristão chamado WorldNetDaily. É nesse site que as opiniões de Norris realmente reluzem.

Certa vez, ele respondeu à piada “As lágrimas de Chuck Norris podem curar o câncer. Pena que ele nunca chora. Nunca.” dizendo: “Havia um homem cujas lágrimas podiam curar o câncer ou qualquer outra doença, incluindo a verdadeira causa de todas as doenças – o pecado. Seu sangue sim. Seu nome era Jesus, não Chuck Norris. Se sua alma precisa de cura, a receita de que você precisa não são as lágrimas de Chuck Norris, é o sangue de Jesus”.

Em suas colunas, percebe-se que Norris reflete sua fé no que escreve. É nítido seu engajamento na luta a favor do conservadorismo e seus valores quando ele aborda temas como o assassinato de bebês (aborto), o perigo dos tentáculos comunistas do Partido Comunista Chinês no mundo, as incongruências e os movimentos políticos da esquerda que tentam apagar a história, causar caos e instabilidade no mundo (BLM), sobre armas e defesa pessoal. Ele também fala a respeito da vida dos militares e seu patriotismo, resgata e valoriza a história dos EUA e seus fundadores, e leva seus leitores a temas de saúde e educação de filhos.

Chuck Norris é um conservador convicto e doou dezenas de milhares de dólares ao Partido Republicano, do atual Presidente americano Donald Trump.

A fé de Norris faz a sua política.

 

Fontes: Hello Christian, CBN News, CT, The HollowVerse,

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites