Redes Sociais

Últimas

Gabriel Monteiro é afastado da PM

Marcos Rocha

Publicado

em

Gabriel Monteiro é afastado da PM 20
Divulgação | Gabriel Monteiro

O policial militar e ativista político Gabriel Monteiro foi afastado das ruas pela Corregedoria da PMERJ (Polícia Militar do Rio de Janeiro).

Em uma publicação nas redes sociais, Gabriel afirma que será submetido a um conselho que possivelmente vai culminar na sua expulsão.

Entre os fundamentos da decisão que afastam o militar, está o uso da farda em “desalinho.”

Segundo Gabriel, o traje está um pouco grande pois ela advém da doação de uma senhora que se comoveu ao saber que na época ele tinha ficado sem dinheiro após realizar o pagamento de sua faculdade.

Além disso, ele cita que seu afastamento também considerou um suposto ato de desrespeito ao coronel da PM Marcos Paes.

Em abril, durante evento em comemoração à revolução cubana, ocorrido na Câmara Municipal do Rio, Gabriel afirmou que era uma “vergonha” que o coronel incentivasse seus aliados a agredir pessoas (veja o vídeo da discussão aqui). 

Ainda de acordo com a decisão, Gabriel Monteiro “expõe negativamente a imagem da PMERJ”.

“Estou me despedindo do meu trabalho nas ruas com bastante tristeza. Continuarei sempre aqui. Mesmo que tirem minha farda, não conseguirão mexer com meus sonhos e meu caráter”, escreveu o PM em seu Instagram.

ATUALIZAÇÃO – 20:30h

Na noite desta quinta-feira (29), o perfil oficial da PMERJ (Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro) no Twitter informou que o Secretário de Estado de Polícia Militar, General Figueiredo, decidiu reavaliar a decisão que submeteu Gabriel Pinheiro ao Conselho de Revisão Disciplinar.

A anulação do ato será publicada no Boletim da Corporação.

VEJA A PUBLICAÇÃO

View this post on Instagram

Tomei ciência por um perfil declaradamente de apoio a bandidos do Comando Vermelho que fui afastado das ruas e submetido a um conselho que possivelmente vai culminar em minha expulsão da PM. MOTIVAÇÃO: CORRUPÇÃO? ROUBO? TRUCULÊNCIA? MILÍCIA? NÃO! Dentre elas meu fardamento em "desalinho", a farda está um pouco maior do que o previsto, pois, ela advém da doação de uma senhora, que se comoveu ao saber na época que eu tinha pagado minha faculdade e estava sem dinheiro para comprar uma nova farda, e a Polícia não cumpriu com o dever dela em me ceder uma nova. Meu afastamento também é culminado por eu "desrespeitar" um Coronel o qual incentivou seus aliados a agredir pessoas inocentes, entre as vítimas tinham mulheres e um deficiente. Falei que ele era uma VERGONHA. E na minha ficha tem vários absurdos para me desqualificar, como falta a serviço quando eu estava dando minha vida pela sociedade normalmente com minha guarnição. Bom, eu sabia que um dia isso iria acontecer. Alguém acha que eu sujo o nome da PM? Estou me despedindo do meu trabalho nas ruas com bastante tristeza. Infelizmente não posso mais dar a vida pela sociedade, pelo menos não como policial. Continuarei sempre aqui. Mesmo que tirem minha farda, não conseguirão mexer com meus sonhos e caráter. #upp #pm #bpchoque #militar #cfap #brasil #rj #polícia #heróis #go #força #pm #policia #cfap #war #família #criança #animal #estudantededireito #fé #ufc #esporte #mma #heróis #exemplo #provida #animal #kid #criança #bebe #studay #uff #esperança #estudante

A post shared by Gabriel Monteiro (@gabrielmonteiropm) on

Matéria atualizada às 20:31h para acréscimo de informações.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

CONTATO: [email protected] | Editor-chefe do Conexão Política, residente e natural de Campo Grande/MS, assistente de gabinete junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS) e estudante de Ciências Jurídicas.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites