Redes Sociais

Coronavírus

Tocha dos Jogos de Tóquio é acesa a portas fechadas

Davy Albuquerque

Publicado

em

© REUTERS/Alkis Konstantinidis/Direitos Reservados

A tocha da Olimpíada de Tóquio 2020 foi acesa pelos raios do sol na antiga Olímpia nesta quinta-feira (12) para marcar o início da caminhada final rumo aos jogos de 24 de julho a 9 de agosto, que estão atualmente em dúvida por causa da pandemia de coronavírus.

A atriz Xanthi Georgiou, no papel da alta sacerdotisa, usou um espelho parabólico em uma cerimônia discreta e sem espectadores realizada no local da antiga Olimpíada grega para acender a chama e marcar o início do revezamento da tocha, que será entregue aos organizadores da Tóquio 2020 em Atenas no dia 19 de março.

Os organizadores dos Jogos de Tóquio, assim como o Comitê Olímpico Internacional (COI), insistem que o evento seguirá adiante tal como planejado, em meio à especulação crescente de que este poderia ser cancelado ou adiado agora que o vírus está se espalhando rapidamente pelo globo.

“Dezenove semanas antes da cerimônia de abertura dos Jogos, estamos fortalecidos em nosso compromisso de muitas… organizações de todo o mundo que adotam medidas significativas para conter a disseminação do coronavírus”, disse o presidente do COI, Thomas Bach.

“Os Jogos de Tóquio são preparados por uma equipe de astros totalmente japonesa com apoio e cooperação extraordinários de todos os níveis de governo”, disse ele a uma pequena plateia de convidados em uma manhã ensolarada dentro do estádio antigo, aninhado no oeste do Peloponeso.

A cerimônia foi a primeira desde 1984 a ser realizada sem público nas encostas gramadas do estádio, e só algumas dezenas de autoridades credenciadas tiveram permissão de assistir ao acendimento no vizinho Templo de Hera.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) descreveu o surto de coronavírus como uma pandemia pela primeira vez, o que levou mais países a anunciarem medidas drásticas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, suspendeu a chegada de viajantes da Europa, com exceção do Reino Unido, por 30 dias a partir de sexta-feira. Fortemente atingida, a Itália endureceu as medidas de interdição.

Até quarta-feira, o Japão tinha 620 casos e 15 mortes, excluindo pessoas em um navio de cruzeiro que foi posto em quarentena perto de Yokohama no mês passado, de acordo com o Ministério da Saúde. Especialistas dizem que a contagem pode ser enganosamente baixa devido ao número limitado de exames no Japão em comparação com muitas outras nações.

Com informações, Agência Brasil.

Nasci no estado do Rio de Janeiro. Sou brasileiro com orgulho, cristão por convicção e política por vocação. Colunista político do Conexão Política.

alan correa criação de sites