Redes Sociais

Política

Duas nações e um só Senhor. A oração dos líderes evangélicos dos EUA por Bolsonaro na Casa Branca

Thaís Garcia

Publicado

em

Duas nações e um só Senhor. A oração dos líderes evangélicos dos EUA por Bolsonaro na Casa Branca 16
Imagem: TWITTER/JOEL ROSENBERG

Um grupo de cerca de uma dúzia de líderes evangélicos americanos liderados pelo pastor e fundador da rede de televisão CBN, Pat Robertson (88), se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro, após sua reunião com o presidente dos EUA, Donald Trump, em março deste ano na Casa Branca, em Washington, nos EUA. Também estavam presentes, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o deputado federal e presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, Eduardo Bolsonaro.

Nesta segunda-feira (2) pela manhã, o encontro de março voltou em cena. Um vídeo do encontro está sendo compartilhado nas redes sociais, após a deputada federal, Carla Zambelli, publicá-lo em sua conta no Twitter. No vídeo, os líderes evangélicos americanos oram pelo presidente Bolsonaro e pela nação brasileira.

“EMOCIONANTE!!! As 2 mais importantes Nações do mundo serão EUA e Brasil. E isso nasce neste momento, desta oração. Amém”, disse Carla Zambelli em sua conta no Twitter, ao publicar o vídeo.

Reunião
O evento, organizado pela CBN, ocorreu logo após a coletiva de imprensa conjunta do presidente Bolsonaro com o presidente Trump, na Casa Branca, em Washington. Para iniciar a reunião, o CEO da CBN, Gordon Robertson, presenteou Bolsonaro com a premiada série cristã em desenho animado Superbook (Super Livro).

“Têm desenhos para seus filhos, são histórias bíblicas em português. Nosso desejo é dar essas histórias de graça a todas as crianças do Brasil. Queremos que elas conheçam as histórias da Bíblia para que possam ser levantadas em retidão, para que a próxima geração a seguir, seja capaz de liderar o Brasil ”, disse o CEO da CNB, Gordon Robertson.

Desde a sua criação, o desenho animado produzido pela CBN já foi transmitido em mais de 106 países, traduzido para 43 idiomas e visto por mais de 500 milhões de pessoas.

Oração

Liderado por Pat Robertson, o grupo incluía seu filho e CEO da CBN, Gordon Robertson, o escritor Joel Rosenberg, o evangelista Reinhard Bonnke, o fundador da Charisma Media, Stephen Strang, o bispo de Maryland, Harry Jackson, e Jonathan Falwell, pastor da Igreja Batista de Thomas Road, em Lynchburg, na Virgínia, e filho do Fundador da Liberty University, Jerry Falwell Sr.

Duas nações e um só Senhor. A oração dos líderes evangélicos dos EUA por Bolsonaro na Casa Branca 17

Pastor e fundador da rede de televisão CBN, Pat Robertson (88), cumprimenta o presidente Jair Bolsonaro. Foto: CBN.

O grupo de líderes evangélicos elogiou o presidente Bolsonaro por suas francas crenças cristãs e por defender os valores tradicionais. Eles não apenas conversaram sobre a fé que ambos, EUA e Brasil, compartilham em Jesus Cristo e nos valores cristãos tradicionais, mas os pastores e empresários cristãos também oraram por Bolsonaro, pedindo a benção de Deus sobre o seu Governo.

“Oramos Senhor, que a unção do Espírito Santo venha sobre ele. Para que ele tenha sabedoria e ouça a Sua voz dizendo ‘vire à direita ou à esquerda’. Dizendo: ‘Este é o caminho. Andai nele.’ Que a benção do Senhor venha sobre ele, sustenha-o. E que os anjos de Deus estejam cercando o Brasil. E que faça de nós um lar para esta nação. Abençoe Senhor, todo o trabalho entre os EUA e o Brasil, unindo-os e os conectando em amor e amizade. Que o poder de Deus venha sobre o Brasil. Proteja o nosso novo amigo e irmãos. Defenda-o e o proteja do mal. E o use poderosamente nos anos vindouros. E abençoe sua esposa e família. E que ele por muitos anos possa servir efetivamente em Seu Reino. Obrigado Pai, por esse tempo juntos e Te louvamos agora, em nome de Jesus, nosso Salvador, amém”, orou Pat Robertson.

Assista ao vídeo da oração feita por Pat Robertson.

Livramento
Segundo o fundador da Charisma Media, Stephen Strang, Bolsonaro compartilhou durante a reunião com os líderes evangélicos americanos sobre o milagre concedido por Deus dele estar vivo. Referindo-se ao atentado sofrido durante a campanha, quando foi esfaqueado por Adélio Bispo de Oliveira (ex-filiado do PSOL) e confinado em uma cama de hospital até a eleição em outubro passado.

Israel
Durante a reunião, o presidente Bolsonaro teria compartilhado com os líderes a respeito de sua visão sobre Israel. Ele disse que vê Israel como um “modelo para seu país”, por causa do fato de ter uma das maiores economias do mundo, apesar de seu tamanho pequeno.

Os EUA são conhecidos pelo seu histórico apoio à nação de Israel. Em 2017, o presidente dos EUA, Donald Trump, tornou-se o primeiro líder a anunciar a intenção de seu país, de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu. E em maio de 2018, os EUA transferiram sua embaixada para Jerusalém.

“O presidente disse que planeja iniciar uma mudança da embaixada brasileira em Israel para Jerusalém, assim que “várias questões econômicas forem tratadas”, disse Strang à CBN.

O Brasil ainda não reconhece oficialmente Jerusalém como a capital de Israel. O reconhecimento de Jerusalém como capital israelense é uma promessa de campanha de Bolsonaro aos seus eleitores. Em março deste ano, foi dado o primeiro passo, quando o Brasil abriu um escritório de representação comercial na capital Jerusalém. Para os EUA, demorou meses para que Trump transferisse a embaixada americana.

Venezuela

O grupo também discutiu a situação humanitária que está ocorrendo na Venezuela. Segundo a CBN, Pat Robertson pediu para que o Brasil e a CBN trabalhassem juntos, para ajudar as pessoas que sofrem com a crise humanitária na Venezuela. A CBN administra um programa chamado ‘Operação Bênção’ (Operation Blessing), que tem parceria com grupos que fornecem alimentos, assistência médica e outras necessidades para as famílias venezuelanas.

Encontro de Trump e Bolsonaro

Durante a reunião do Gabinete Oval entre Bolsonaro e Trump e uma conferência de imprensa conjunta que se seguiu no Jardim de Rosas, na Casa Branca, os dois presidentes expressaram um sentimento positivo sobre seus valores conservadores compartilhados e mostraram um apoio mútuo, na questão dos constantes ataques com ‘fake news’ que ambos sofrem da grande mídia globalista, relatou a Real Clear Politics.

Bolsonaro teria prometido que “o Brasil ficaria lado a lado com os EUA, para garantir liberdades e respeito ao estilo de vida familiar tradicional, respeitar a Deus, nosso criador, e contra a ideologia de sexo, as atitudes politicamente corretas e as notícias falsas”.

Em entrevista à Christian Broadcasting Network, Bolsonaro afirmou que, assim como Trump quer “tornar os EUA grande”, ele quer “tornar o Brasil grande”. O presidente também apoiou as posições do Governo Trump sobre imigração indiscriminada.

“Também tenho preocupações com a entrada indiscriminada de estrangeiros sem nenhum critério. Mas além disso, [Trump e eu] somos cristãos e somos homens tementes a Deus.”, afirmou Bolsonaro.

‘Abençoada é a nação cujo Deus é o Senhor’

Assim como Bolsonaro é presidente de uma nação com uma demografia religiosa cristã e conservadora em crescimento, Trump também é presidente de uma nação que foi fundada nos princípios e valores bíblicos e onde grande parte da população persevera em sua fé cristã.

Por causa de suas visões socialmente conservadoras e promessas de implementar políticas sociais conservadoras, Bolsonaro e Trump conquistaram o apoio de muitos evangélicos em seus países.

De acordo com Strang, durante a reunião, o presidente Bolsonaro compartilhou sua visão de querer mover o Brasil em uma “nova direção”, para longe das políticas anteriores de esquerda.

“Alguns de seus principais objetivos incluem proteger a vida dos não-nascidos, fortalecer os laços com Israel e reverter os estragos causados pelo socialismo no Brasil. Curiosamente, esses são alguns dos principais problemas que os EUA enfrentam atualmente”, afirmou Strang.

” ‘Bênçãos’ ao invés de ‘julgamento’ poderiam estar chegando a “lugares que estão escolhendo se alinhar com os tipos corretos de políticas e agenda”, disse Harry Jackson, pastor sênior da igreja Hope Christian Church em Beltsville, Maryland e bispo presidente da Comunhão Internacional de Igrejas Evangélicas.

“Todos nós queremos bênçãos de Deus, mas a verdade é que as bênçãos precisam do fundamento da salvação. Se um país está coberto pelo evangelho de Jesus Cristo, que fundamento!”, disse o evangelista alemão da Christ for All Nation (Cristo para Todas as Nações), Reinhard Bonnke.

“A única esperança que temos, nos EUA ou no Brasil, é quando um país realmente entende quem é Deus, o que Deus fez e o que Deus continuará a fazer. A Bíblia diz: ‘Abençoada é a nação cujo Deus é o Senhor’. É encorajador para mim ver um presidente tão apaixonado pela sua fé e cheio de paixão para levar o Brasil na direção certa.”, disse Jonathan Falwell, pastor da Igreja Batista de Thomas Road, em Lynchburg, na Virgínia à CBN, após a reunião.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites