Redes Sociais

Análise

Assim não, Senador…

Flávio Bolsonaro se posiciona contra a CPI da Lava Toga em rede social.

Anderson Feitosa

Publicado

em

Reprodução / Internet

Na tarde desta terça-feira, 16, o Senador da República e filho do Presidente do Brasil, Flávio Bolsonaro, fez um comentário via Twitter posicionando-se contra a tramitação da CPI da Lava Toga neste momento, junto com outras pautas delicadas que já estão em discussão no Congresso.

Entre os motivos que usou para defender sua opinião, o Senador citou o fato de que uma guerra entre os poderes Legislativo e Judiciário atrapalharia a aprovação da Nova Previdência, que é prioridade para o País, e disse: “a experiência mostra que a tramitação conjunta de duas matérias polêmicas polarizaria posições e dificultaria a tramitação da ambas”.

Além disso, Flávio colocou o fato de ser filho do Presidente como argumento para não assinar a favor da CPI, dizendo: “pelo fato de eu ser filho do Chefe de outro Poder, minha assinatura na CPI para investigar o Judiciário poderia ser interpretada como uma sinalização informal da vontade da Presidência da República”.

A visão do Senador me pareceu absolutamente equivocada. Por mais importante que seja a reforma previdenciária, em uma visão conservadora da política, como o Governo atual afirma defender, uma pauta de cunho moral jamais será menos relevante que uma pauta econômica. Não há justificativa para ignorarmos os abusos de autoridade e os crimes cometidos pelo STF de forma sucessiva e excessiva, simplesmente pelo medo de não aprovarmos a reforma por isso.

Na verdade, o fato de uma investigação sobre a suprema corte do País atrapalhar a tramitação de uma outra pauta no Congresso já é um erro grande e demonstra toda a falha do nosso sistema político atual. Afinal, os poderes deveriam ter total independência. Em uma monarquia parlamentarista, por exemplo, que é um sistema muito mais estável e saudável, o governo estaria cuidando das reformas necessárias enquanto o chefe do Estado seria encarregado de acompanhar e fiscalizar os trabalhos do poder judiciário, controlando seus excessos e abusos.

Essa visão pragmática de que a aprovação da Nova Previdência deve ocorrer a qualquer custo, ainda que isso nos impeça de controlar a turminha autoritária do STF, que se mostrou diversas vezes inimiga da nação em aspectos fundamentais, é uma visão deturpada de muitos políticos e cidadãos de hoje em dia. Esse pragmatismo é defendido especialmente pelos liberais do Brasil atualmente. Na prática, é tudo que o MBL quer, por exemplo.

Esse ativismo pragmático é prejudicial ao Brasil. Não, Senador, a reforma da previdência não é mais importante que a CPI da Lava Toga. Os efeitos de uma limpeza geral no STF, por meio de sérias investigações, serão muito mais benéficos à nação a longo prazo do que a reforma previdenciária. Não podemos colocar as pautas econômicas acima das pautas morais e ignorar a decadência criminosa da alta cúpula do Poder Judiciário.

O pensamento conservador, que, até onde sei, é carregado pela família Bolsonaro, nos ensina que devemos agir da forma correta, conforma à moral, à ética e o direito, independentemente de quais sejam os resultados dos nossos atos. Ou o senhor seria capaz de ferir algum desses princípios apenas para obter uma vitória política? Prefiro acreditar que não!

Sabemos que os fins não justificam os meios. Sabemos do equívoco maquiavélico. Ignorar uma suprema corte corrupta, autoritária, ditadora e inimiga, apenas pela aprovação de uma pauta econômica, é um ato absurdamente imoral.

Ademais, sobre o comentário acerca da posição de filho do Presidente atrapalhar a sua colocação sobre a CPI, por causa de um possível erro de interpretação, eu não achei nem palavras para expressar minha opinião. Faça-me o favor, caríssimo Senador: sejamos maduros! O senhor é um dos mais importantes senadores do País. Sua posição como filho de Jair Bolsonaro deveria fortalecer seu posicionamento conservador dentro da mais alta casa legislativa do Brasil, e não o contrário. Essa isenção não possui justificativa.

Assim não, Senador!


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Católico, conservador e patriota. Estudante de medicina e amante da Verdade. Membro do Movimento Brasil Conservador no Ceará. Deus Vult!

Publicidade
9 Comentários

9 Comments

  1. Pedro Rocha

    17.04.2019 at 12:02

    Tenho sérias ressalvas para com Flávio Bolsonaro, mas ele está sendo realista. Simples assim.

    A direita é nula no STF e minoria no Legislativo. E Olavo de Carvalho odeia os militares. Vão fazer o quê?

    Foi a “intervenção civil” do pseudo-filósofo falido que nos permitiu a posse de armas? Que aleijou o MST? Que está matando de inanição os jornalões do “sistema”? NÃO!

    Por mais que eu também não goste de ver o Governo Bolsonaro fraquejar e fazer concessões, a direita ainda não tem força política para atacar o “sistema” encastelado no Estado brasileiro desde 1974.

    Não se derruba o “sistema” com 4 meses! Vejam como Moro fez para a Lava Jato chegar onde chegou atacando primeiro os financiadores para depois chegar em Lula, tendo que fazer recuos estratégicos ante figurões ainda muito poderosos, como Temer. E mesmo a direita não teve organização e maturidade para escolher seus representantes, com vários oportunistas eleitos com a nossa força e que agora nos traem nas Casas Legislativas, diminuindo ainda mais nosso pouco poder de mudança.

    Melhor vocês crescerem e pararem de seguir um fracassado que implora por dinheiro no fim da vida e se ainda se acha um gênio…

    • golddd

      17.04.2019 at 13:36

      os militares são tão burros que criaram deixaram um sistema de previdência fadado a falencia do pais…. essses caras so fizeram merda

      • Pedro Rocha

        17.04.2019 at 15:01

        Tudo agora é “culpa dos militares”? Via muito isso ser vomitado por esquerdistas nos anos 90.

        Até as obras de longo prazo as quais usufruímos até hoje eram chamadas de “faraônicas”, como hidrelétricas.

      • Luiz Neto

        17.04.2019 at 21:31

        golddd, você é que falou merda, aliás, muita merda em poucas linhas.

  2. Leonardo

    17.04.2019 at 11:32

    Esse cara não presta!! Ele é SENADOR da república, e não apenas filho do presidente, ele tem que se colocar como tal… ser contra a lava toga, mesmo que agora, desanima e frustra os milhões de eleitores que o elegeram, uma vergonha!!! Faça o seu trabalho como SENADOR, parece um garotinho filhinho do papai, frouxo!!! Acredito que sua carreira política esteja acabada desde agora!!!

  3. VAULDIR COSTA ANUNCIATO

    17.04.2019 at 11:25

    ELE SE EXPLICOU..DE FATO PODE SER USADO DE FORMA VIL SEMPRE PELA MÍDIA E PARTIDOS COMO FILHO DO PRESIDENTE É O ÔNUS DE SER FILHO DO MITO ..CREIO QUE ELE NÃO É DECISIVO NISSO A CPI E ELE SE EXPLICANDO AMENIZA..NO MAIS MOSTRA SIM AINDA REFÉM DA CORRUPÇÃO O CONGRESSO E O JUDICIÁRIO..O BRASIL TODO POR TABELA…TODAVIA PROJETANDO..O MAL FOI LONGE DEMAIS E DE TAL NÍVEL QUE O MITO PAI SURFA RINDO ..POIS QUANTO MAIS O MAL AVANÇA MAS BRECHAS APARECEM PARA AS SUAS CANETADAS MITOLÓGICAS..LEVANDO O BRASIL POR BEM OU POR MAL AO FUTURO JÁ…

  4. Alessandro

    17.04.2019 at 11:05

    Eu até entendo as colocações do senador, ele não quer se indispor com o judiciário sabedor de como é a nossa mídia que iria criar uma narrativa jogando o judiciário e o legislativo contra o poder executivo para atingir o governo Bolsonaro, mas é preocupante por outro lado, pois mostra como o poder executivo virou refém dessas guerras de narrativas, e com isso dá todo o respaldo e poder para essa censura que o STF vem fazendo, dando uma sensação de covardia por parte dele e de total descaso diante do público, algo tem que ser feito, se o senador não tem coragem de fazer alguma coisa contra essas barbaridades na frente da mídia, que tomem providências nas entrelinhas contra os desmandos do STF, [email protected]#$ Flavio Bolsonaro agora vcs são governo, tem que usar a máquina pública para frear essa gente inescrupulosa, se ficarem parados omissos aceitando tudo numa boa pra que se se tornaram políticos então? Renuncia e vai pra casa, faça alguma coisa nos bastidores para FUDER com a vida do STF

  5. Nilson santos

    17.04.2019 at 10:58

    Ele disse que não é o momento, não disse que não quer a CPI, precisa saber entender as colocações.

    • Carolina

      17.04.2019 at 12:04

      Nesse ponto concordo com o Senador. Quando qualquer um dos filhos dá uma declaração polêmica, a mídia suja não diz que foi o Senador ou o Deputado ou o Vereador. Dizem sempre que foi “o filho do Presidente Bolsonaro”. Ou seja, usam os filhos para atacar o Presidente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites