Redes Sociais

Mundo

Sonhos de crianças judias de Theresienstadt em exposição de desenhos

Redação

Publicado

em

Desenho criado por Hana Zieglerová (1933-1944). Museu Judaico de Praga.

The Times of Israel — A obra de arte do Museu Judaico de Praga foi salva por Friedl Dicker-Brandeis, que ensinou aulas de arte secretamente no campo nazista e escondeu os desenhos antes de ser enviado para um campo de extermínio.

Uma coleção única com cerca de 4.500 desenhos de crianças que foram internadas no campo de concentração de Theresienstadt durante o Holocausto ainda atrai atenção, 75 anos desde a sua criação.

Em meio a condições brutais no gueto, as crianças os fizeram durante as aulas de arte secretas lideradas pelo artista Friedl Dicker-Brandeis, principalmente entre 1943-44.

Os desenhos retratam a vida cotidiana como também esperanças e sonhos de voltar para casa, ajudando as crianças a lidarem com a cruel realidade.

Os desenhos foram salvos graças a Dicker-Brandeis, que os escondeu em duas bagagens em Theresienstadt antes de sua deportação para um campo de extermínio.

Um visitante observa a coleção de desenhos no Museu Judaico em Praga, República Tcheca, em 24 de janeiro de 2019, feita por crianças judias que passaram pelo Gueto de Terezin durante a Segunda Guerra Mundial (AP Photo / Petr David Josek)

Eles pertencem ao Museu Judaico de Praga e estão em exposição na Sinagoga Pinkas.

Desenho criado por Hana Zieglerová (1933-1944) durante as aulas de desenho no Gueto de Terezín, organizado entre 1943 e 1944 pelo pintor e professor Friedl Dicker-Brandeis (Museu Judaico de Praga)

A visitante Alexandra Diffey da Grã-Bretanha disse: “É muito, muito comovente. É interessante. Eu tenho pensado enquanto andava por aí porque meu pai estava em um campo de concentração, então é mais ou menos o que aconteceu com os judeus. Eu só acho que os jovens deveriam realmente vir aqui e ver por si mesmos e talvez aprender alguma coisa.”

Visitantes percorrendo o cemitério do antigo campo de concentração nazista em Terezin, na República Tcheca, em janeiro. 24 de janeiro de 2019 (AP Photo / Petr David Josek)

Estima-se que 140.000 judeus foram enviados para Terezin e 33.430 morreram lá. No total, cerca de 35.000 pessoas morreram em Theresienstadt, também conhecida como Terezin, durante a ocupação nazista da Tchecoslováquia.

Colocando colchões para arejar no jardim por Irena Karplusová (1930-1944) durante as aulas de desenho no Gueto de Terezín, organizadas entre 1943 e 1944 pelo pintor e professor Friedl Dicker-Brandeis (Museu Judaico de Praga)

Cerca de 87 mil pessoas foram transportadas de Terezin para Auschwitz e outros campos de concentração nazistas, onde a maioria delas pereceu.

Desenho criado por Robert Hirsch (1933-1944) durante as aulas de desenho do Gueto de Terezín, organizado entre 1943 e 1944 pelo pintor e professor Friedl Dicker-Brandeis (Museu Judaico de Praga)

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Conexão Política é um jornal digital inteiramente compromissado com a cobertura e análise das principais pautas sobre política nacional e internacional | [email protected]

alan correa criação de sites