Redes Sociais

Mundo

Samsung abandona a China. Não vai mais existir smartphone “made in China”

Thaís Garcia

Publicado

em

Reprodução | Samsung

A Samsung colocou ontem (2) o fim no plano que já estava implementando há algum tempo. Apesar de já ter considerado a China como um dos melhores mercados para produzir seus smartphones, isso agora fará parte do passado. A empresa sul-coreana anunciou que vai abandonar de vez o país da ditadura comunista de Xi Jinping, deixando de produzir smartphones em território chinês.

O site de notícias Entertainmentbox informou que entre várias outras motivações, a presença da Samsung no país parece não ser tão bem recebida como em tempos passados. No últimos seis anos, a marca viu a sua quota de mercado ser totalmente destruída, passando de 15% para 1% no primeiro trimestre de 2020.

A Samsung já tinha os dias contados na China há muito tempo, segundo o Entertainmentbox.

De acordo com um analista da empresa Cape Investment & Securities em entrevista à Reuters, os utilizadores na China revelam uma grande preferência por smartphones com preços mais acessíveis fabricados por marcas nacionais. Os que decidem investir mais dinheiro e adquirir um smartphone de alta qualidade, optam esmagadoramente pelas ofertas da Apple ou Huawei.

Além disso, o mercado chinês tem atravessado tempos de grandes mudanças, com a economia a abrandar consideravelmente e o custo de mão de obra a subir consideravelmente. Por isso, além de não serem smartphones muito populares no país, a Samsung decidiu realizar a mudança de suas fábricas para países vizinhos.

Novas oportunidades: Índia, Vietnã e Tailândia

Atualmente, a marca sul-coreana está focando em países como a Índia e o Vietnã, que apresentam uma relação custo/qualidade muito mais atraente no que diz respeito à mão de obra disponível.

A Samsung não é a única fabricante a explorar novas oportunidades.

De acordo com o Entertainmentbox, a Samsung está longe de ser a única fabricante a explorar melhores opções para a produção de seus smartphones. Está claro que a China já não é a grande potência de outros tempos, e muitos outros países – maioritariamente asiáticos – estão se apresentando como opções muito mais lucrativas.

Por exemplo, a Sony também já revelou intenções de abandonar Beijing e fazer a mudança de suas fábricas para a Tailândia. A própria fabricante chinesa Xiaomi começou há algum tempo um grande investimento na construção de fábricas de grande dimensão na Índia.

Atualmente, todos os smartphones da Xiaomi vendidos na Índia são fabricados internamente. Considerando que a Índia é o segundo maior mercado do mundo, este é um feito impressionante.

Com informações, Entertainmentbox via 4gnews/ @domlancellotti.

alan correa criação de sites