Redes Sociais

Reino Unido

Solidão e Melancolia: 89% dos jovens britânicos consideram suas vidas sem sentido e sem propósito

Thaís Garcia

Publicado

em

Solidão e Melancolia: 89% dos jovens britânicos consideram suas vidas sem sentido e sem propósito 21
Imagem: Reprodução e ilustrativa.

Uma pesquisa nacional recém-divulgada revelou que surpreendentes 89% dos britânicos entre as idades de 16 a 29 anos estão insatisfeitos e acham que suas vidas são sem sentido e sem propósito.

Edimburgo é a cidade com mais satisfação, onde 32% das pessoas encontraram um significado para a vida – três vezes mais do que a cidade com menos satisfação, Bristol (10%).

Pesquisa
A empresa japonesa Yakult UK, que conduziu a pesquisa, descobriu que 84% dos jovens acreditam que não estão “vivendo a melhor vida”, enquanto 30% disseram que acham que estão presos em uma rotina, relatou o jornal britânico The Sun.

A pesquisa também constatou que, em todas as faixas etárias, 51% dos entrevistados disseram acreditar que nasceram para ser tão felizes quanto possível, enquanto 37% disseram acreditar que a principal tarefa era fazer com que os outros ao seu redor fossem felizes.

De acordo com o estudo, o britânico gasta em média 34 minutos por dia sonhando com uma vida melhor e mais completa. Mas, 43% admitem que não têm tempo suficiente para si próprio e 38% gostariam de passar mais tempo com suas famílias.

83% acham que atingirão um objetivo maior se puderem contribuir mais para a comunidade local.

Propósito de vida
Quando se trata do que dá propósito à nossa vida, o estudo descobriu que 49% dos britânicos dizem que são seus entes queridos, um quarto diz que é se manter saudável e 24% querem criar um lar amoroso. 31% disseram acreditar que o propósito da humanidade deveria ser fazer o bem.

No geral, 36% dos britânicos (de todas as idades) refariam suas vidas completamente se tivessem a chance.

E de acordo com o estudo com 1.500 britânicos, a maior barreira para encontrar um propósito e alcançar uma maior felicidade é a falta de finanças (45%).

Ansiedade
De maneira preocupante, cerca de um terço dos britânicos entrevistados (34%) afirmaram que a ansiedade os impede de alcançar as coisas que gostariam de alcançar.

Doença e problemas de saúde (22%) também foram grandes obstáculos para muitos britânicos, em termos de alcançar seus sonhos, de acordo com a pesquisa.

Não é de surpreender que dois terços admitiram sentir inveja de colegas e amigos que parecem ter seu mundo inteiro em ordem.

Daisy Whitfield-Davis, gerente de Relações Públicas da Yakult UK, disse: “Esta pesquisa prova o quanto os britânicos estão buscando seus verdadeiros objetivos na vida”.

Geração Melancólica
Um sentimento geral de desespero e um profundo sentimento de negatividade sobre o estado de sua vida não é particularmente exclusivo para os mais jovens.

Uma pesquisa de 2017, conduzida pela Comissão Jo Cox sobre Solidão, revelou que quase três quartos (73%) dos idosos se sentem solitários, com cerca de metade (49%) dos entrevistados dizendo que se sentiram assim há anos.

Solidão
Em 2018, o governo do Reino Unido iniciou um programa, financiado pelo Estado sob a Comissão de Solidão, projetado para ajudar pessoas solitárias a fazer conexões com as pessoas ao seu redor e fazer amigos.

Pesquisas do governo revelaram que cerca de 9 milhões de pessoas “sempre ou frequentemente se sentem sozinhas”, com cerca de 200 mil idosos relatando que não tiveram uma conversa com um amigo ou parente em mais de um mês.

Redes sociais
A grande ironia de tudo isso é que atualmente se vive em uma época em que a internet e as mídias sociais permitiram que as pessoas ficassem mais “conectados” umas às outras. Em um nível superficial, pode parecer assim.

No entanto, de acordo com o jornal Voice of Europe, ficou claro que as pessoas estão cada vez mais isoladas e sozinhas. A única diferença é que agora todos estão “sozinhos juntos”.


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites