Redes Sociais

Mundo

Rede internacional de pedofilia com 400 mil membros é desmantelada na Alemanha

Thaís Garcia

Publicado

em

Ben Wicks | Unsplash

Promotores alemães anunciaram nesta última segunda-feira (3) que desmantelaram uma das maiores plataformas internacionais de fórum para pornografia infantil, utilizada por mais de 400 mil membros registrados.

O desmantelamento da plataforma “BOYSTOWN” e de duas plataformas afiliadas, que existiam desde 2019, ocorreu após uma série de buscas realizadas em meados de abril em três regiões alemãs, informou a polícia, em um comunicado.

A rede tinha “mais de 400.000 membros […] A plataforma tinha alcance internacional e servia para troca de pornografia relacionada a menores, principalmente fotos ou vídeos de abusos perpetrados contra meninos”, diz a nota da corporação.

Uma força-tarefa da polícia alemã investigou a plataforma, seus administradores e usuários por meses em cooperação com a Europol e autoridades policiais da Holanda, Suécia, Austrália, Estados Unidos e Canadá.

De acordo com a promotoria, os três principais acusados são um homem de 40 anos de Paderborn, outro de 49 anos de Munique e um de 58 anos do norte da Alemanha que vivia no Paraguai há muitos anos. Eles são acusados de terem cuidado da implementação técnica da plataforma na darknet e da manutenção do servidor. Eles também teriam enviado aos membros instruções de segurança da plataforma com o objetivo de minimizar o risco de serem descobertos pelas autoridades e sobre como escapar da aplicação da lei ao usar a plataforma para pornografia infantil.

Um quarto suspeito, um homem de 64 anos de Hamburgo, é acusado de ser um dos usuários mais ativos da plataforma e de ter postado mais de 3.500 conteúdos sobre pedofilia.

A Alemanha solicitou a extradição do suspeito que foi preso no Paraguai.

Outras redes desmanteladas

A darknet é um espaço anônimo na internet, não referenciado pelos sites de busca. É regularmente usada para abrigar o tráfico criminoso de drogas, armas ou pornografia infantil. A Alemanha desmantelou várias dessas redes nos últimos anos.

Em março de 2019, quatro alemães acusados ​​de administrar uma plataforma chamada “Elysium” foram condenados a penas de prisão que variam de 3 anos e 10 meses a 9 anos e 9 meses.

Ativo por seis meses e derrubado em junho de 2017 pelas autoridades, o site tinha mais de 111 mil membros em todo o mundo e permitia a troca de fotos e vídeos de crianças.

Em setembro de 2019, a polícia alemã também prendeu sete pessoas suspeitas de terem administrado uma plataforma darknet hospedada em servidores escondidos em um antigo bunker da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), onde pornografia infantil, drogas e abuso infantil eram praticados.

Graves abusos

As autoridades disseram que a plataforma era “uma das maiores plataformas de pornografia infantil darknet do mundo” e estava ativa pelo menos desde 2019. Os pedófilos a usavam para trocar e assistir pornografia de crianças e bebês, a maioria meninos, de todo o mundo.

Os promotores escreveram que encontraram no fórum “imagens dos mais graves abusos sexuais de crianças muito pequenas”. Após as buscas, em meados de abril, a plataforma online foi fechada.

Para o ministro do Interior alemão, Horst Seehofer, que é um conservador, o sucesso da operação envia “uma mensagem clara: quem abusa dos fracos não está mais seguro, onde quer que esteja”.

“Estamos fazendo tudo o que podemos para proteger as crianças de crimes tão nojentos”, acrescentou.

Eva Kühne-Hörmann, ministra da Justiça da região de Hesse, onde está localizado Frankfurt, considerou a operação “um sucesso fantástico na luta contra a violência sexual contra menores”.

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.