Redes Sociais

Mundo

Rede de igrejas protestantes da Suíça vota a favor do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo

Danielly Jesus

Publicado

em

Rede de igrejas protestantes da Suíça vota a favor do "casamento" entre pessoas do mesmo sexo 21
Imagem: Alexlmx/Stock.adobe

A Federação das Igrejas Protestantes da Suíça, uma associação reformada que reúne 26 igrejas membros e quase 1.000 congregações, votou durante uma assembleia nacional nesta semana a permissão para “casamentos” entre pessoas do mesmo sexo.

A assembleia de delegados da federação votou 46 a 11, nesta semana, em apoio às propostas de “casamento para todos” apresentadas no início deste ano, de acordo com um comunicado à imprensa.

“Os delegados recomendam que as igrejas membros pressuponham a abertura do casamento para casais do mesmo sexo no nível da lei civil, bem como o possivelmente novo conceito de Lei Civil do Casamento para o casamento na igreja”, explica o comunicado.

Os delegados também votaram a favor de recomendar que as igrejas membros respeitem a liberdade de consciência dos pastores e permitam que os pastores tomem suas próprias decisões sobre se vão ou não sediar “casamentos” do mesmo sexo.

A votação desta semana ocorre depois que o Conselho da Federação das Igrejas Protestantes Suíças, em Agosto, aprovou a proposta de abrir casamentos civis para pessoas do mesmo sexo e tratá-los com a “mesma celebração litúrgica” usada nos casamentos de casais heterossexuais.

“As igrejas membros reunidas na Federação das Igrejas Protestantes da Suíça concordam que a plenitude do ato divino da criação se reflete na variedade de orientações sexuais”, diz um rascunho da legislação.

Em Junho, a assembleia de delegados da federação adotou uma posição oficial afirmando que “Deus nos quer do jeito que fomos criados”.

“Não podemos escolher nossa orientação sexual. Nós vemos isso como uma expressão da abundância criada”, diz a declaração de posição da assembleia.

Embora a assembleia tenha votado predominantemente a favor da afirmação de “casamentos” entre pessoas do mesmo sexo, a votação seguiu um debate animado, segundo o Livenet.ch.

O veículo de notícias suíço relata que alguns delegados queriam deixar a decisão de reconhecer “casamentos” entre pessoas do mesmo sexo às paróquias locais, enquanto outros queriam adiar a votação por completo.

O voto de afirmação dos delegados da federação foi criticado por Peter Schneeberger, presidente da Associação VFG Free Churches Switzerland.

Schneeberger sustentou que a posição adotada pela federação está fora da norma de outros órgãos importantes da igreja em todo o mundo, incluindo a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa.

“O casamento entre homens e mulheres, por causa de seu potencial, tem um status especial em nossa opinião e é baseado na ordem da criação de Deus”, disse Schneeberger ao Livenet.ch.

No nível político, também haverá um debate sobre o assunto no Parlamento suíço.

A Suíça permitiu que casais do mesmo sexo realizassem parcerias registradas desde 2007, mas um projeto de lei para legalizar o “casamento” entre pessoas do mesmo sexo na Suíça foi finalizado no início deste ano.

Segundo o Swissinfo.ch, a maioria dos partidos políticos na Suíça é a favor da legalização do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo, exceto o Partido Popular da Suíça, de direita, e o Partido Protestante, mais centrista.

O projeto de lei deve ser discutido em 2020.

Os órgãos da igreja em todo o mundo têm lutado com a questão do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo nos últimos anos.

No início deste ano, os delegados da Igreja Metodista Unida votaram a favor de um plano para manter a definição de longa data da denominação como casamento, sendo uma união entre um homem e uma mulher.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

30 anos, Evangélica, Republicana, Escritora, Youtuber, Podcaster e colaboradora do Conexão Política.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites