Redes Sociais

Holanda

Primeiro projeto do mundo para produzir hidrogênio a partir da água do mar será no Mar do Norte na Holanda

Thaís Garcia

Publicado

em

Primeiro projeto do mundo para produzir hidrogênio a partir da água do mar será no Mar do Norte na Holanda 15
Imagem: ANP

O primeiro projeto do mundo para a produção de hidrogênio a partir da água do mar começará no próximo ano, em uma plataforma de gás e petróleo, no litoral de Scheveningen, bairro da cidade de Haia, na Holanda. A plataforma está equipada com o chamado eletrolisador, com o qual o hidrogênio pode ser produzido.

O projeto consiste em separar a água em oxigênio e hidrogênio por meio da eletrólise, um processo que separa os átomos de hidrogênio e oxigênio.

O hidrogênio se tornou muito requerido por servir como combustível para automóveis e não produzir dióxido de carbono, conservando a pureza do ar. Todavia, sua produção exige água altamente purificada para que haja a separação de suas moléculas das do oxigênio.

Fontes de energia
Existem duas fontes de energia no Mar do Norte que podem ser usadas para transformar água em hidrogênio: gás e energia eólica. Com a ajuda da eletricidade dessas fontes, a água (H2O) pode ser decomposta em hidrogênio (H2) e oxigênio (O). O hidrogênio pode servir como combustível limpo. Ao contrário dos combustíveis fósseis, nenhuma substância prejudicial é liberada quando se usa hidrogênio.

“Este projeto piloto mostra de forma proeminente como a integração entre os vários sistemas de energia toma forma. O Mar do Norte, onde tanto o vento quanto o gás natural estão disponíveis, é o lugar perfeito onde essa integração de sistemas pode ser realizada”, disse Lex de Groot , diretor e proprietário da plataforma da Neptune Energy, na Holanda.

O projeto também envolve o governo holandês, uma agência de pesquisa, a TNO e a associação Nexstep, criada para dar novas funções à infraestrutura de petróleo e gás.

Investimentos
No início de julho, a Neptune Energy Netherlands anunciou que investirá mais de 65 milhões de euros em novos desenvolvimentos de gás offshore. Segundo a empresa, isso contribui para a grande importância do setor de gás offshore e para as necessidades energéticas holandesas.

Em 2018, a produtora de gás offshore investiu mais de 5,3 milhões de euros em exploração, resultando em descobertas de gás de Ziegler e Andalusite. A empresa vai aumentar o investimento em exploração e está trabalhando no desenvolvimento de vários projetos em potencial.

“Dada a importante contribuição do gás natural para a sociedade holandesa e a economia, é crucial que o governo e a indústria trabalhem em estreita colaboração para otimizar o uso das reservas holandesas de gás offshore”, explicou o diretor Lex de Groot.

Independência energética
Isso trará à Holanda muitos benefícios do gás nacional sobre o gás importado, principalmente o da Rússia, como também uma menor emissão de CO2.

A Rússia exporta grande quantidade combustível para a Holanda, como petróleo, querosene, gasolina e gás natural. Apenas em 2015, os holandeses importaram 7,6 bilhões de m³ de gás da Rússia.

O projeto sustentável está totalmente de acordo com a política do governo holandês, de fortalecer a produção de gás offshore no país, e assim, fortificar também sua independência energética.


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites