Redes Sociais

Mundo

Presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñes, nega anistia a Evo Morales

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: AFP

Neste sábado (23), a presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñes, anunciou que não irá promulgar a lei apresentada por senadores socialistas que busca oferecer anistia ao ex-presidente Evo Morales, atualmente exilado no México.

O projeto de lei do partido Movimento Al Socialismo (MAS) almejava conceder anistia e liberar presos implicados em casos de violência desde a renúncia de Evo, em 10 de novembro.

“Não podemos garantir proteção a quem submeteu, perseguiu, enganou e zombou dos bolivianos. Não decepcionaremos a luta pacífica de milhões de bolivianos. O novo país que queremos será uma Bolívia de justiça, não de impunidade. Que Deus abençoe a Bolívia!”, afirmou Jeanine no Twitter.

Em 15 de novembro, a presidente interina da Bolívia afirmou que o ex-presidente Evo Morales pode retornar à Bolívia de seu exílio no México, mas se o fizer, deve responder à justiça por irregularidades nas eleições de outubro e por denúncias de corrupção.

Novas eleições

Em entrevista exclusiva ao programa NTN24 La Tarde, Jeanine Añez disse que estão trabalhando para acelerar o processo de eleger um novo presidente da nação.

Ela enfatizou que é necessário lembrar que o Supremo Tribunal Eleitoral (TSE) não tem ninguém para representá-lo e acrescentou que é necessário que novos representantes sejam formados e que estes não apoiem nenhum partido político para que as eleições sejam livres e justas para todos os bolivianos.

Esquerda e violência

Añez alertou que todos devem estar atentos a todos aqueles que são chamados de “socialistas do século XXI”, que a partir de seus critérios só chegam ao poder aplicando e usando esses meios para conquistar as pessoas e depois mudam tudo conforme sua conveniência.

Ela disse que nos atos de vandalismo que foram testemunhados na Bolívia desde o último dia 20 de outubro após os resultados das eleições, foi constatado a presença de venezuelanos e cubanos.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites