Redes Sociais

Mundo

Plano de vacinação na Venezuela prioriza políticos

Marcos Rocha

Publicado

em

Reuters©/Marco Bello/Direitos reservados

De acordo com informações da Agence France-Presse (AFP), a Venezuela dará início à vacinação contra a covid-19 nesta quinta-feira (18), após a chegada de 10 mil doses do imunizante Stupnik V, fabricado pela Rússia.

O cronograma do governo prevê como grupos prioritários “autoridades que pelo trabalho de rua justifiquem […] sua proteção especial para que o Estado continue sua marcha”. Isso inclui não apenas os profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia.

Os deputados – 92% deles aliados ao chavismo – e o ditador Nicolás Maduro, juntamente com a esposa e o filho do casal, além de agentes de segurança, tanto policiais como militares, e funcionários do governo, também estão inclusos na categoria de prioridade para a vacina.

Segundo dados da ditadura venezuelana, o país de 30 milhões de habitantes contabiliza 133.927 casos confirmados e 1.292 mortes por coronavírus. Vale lembrar que esses números são questionados por diversas organizações, incluindo a Human Rights Watch, entidade que defende e realiza pesquisas sobre direitos humanos em todo o mundo.

Editor-chefe do Conexão Política; residente e natural de Campo Grande/MS | FALE COMIGO: [email protected]