Redes Sociais

Mundo

Partido de direita lidera pesquisas na Polônia

Jaroslaw Kaczynski, líder do partido Lei e Justiça. Imagem: Janek Skarzynski / AFP via Getty Images.

Redação

Publicado

em

Partido de direita lidera pesquisas na Polônia 15

O Partido da Lei e da Justiça da Polônia foi o grande vencedor nas eleições parlamentares do país, conquistando mais de 45% dos votos após uma campanha agressiva contra uma oposição unida em um ano de eleições importantes.

Os resultados preliminares de mais de 99% dos postos de votação anunciados nestsa segunda-feira pela Comissão Eleitoral Estatal sugerem que o partido de direita tem uma boa chance de ganhar eleições cruciais para o parlamento nacional e continuar sua política de conservadorismo social e euroceticismo, informou a Fox News.

Foi a primeira vitória do partido de direita nas eleições europeias e, aparentemente, a melhor de todas as eleições.

Analistas disseram que a campanha intensiva, com a participação do líder do partido Jaroslaw Kaczynski e a rápida contenção de conflitos — de negociações de líderes a revelações de abuso sexual infantil por padres — contribuíram para sua boa exibição.

“Esta é uma vitória impressionante para Lei e Justiça, dado o número de crises que poderiam ter prejudicado sua imagem e o fato de que os eleitores estavam avaliando seus quase quatro anos no poder”, disse o sociólogo Jacek Kucharczyk, chefe do Instituto de Assuntos Públicos. tanque.

O partido do governo polaco tem uma relação difícil com a União Européia, que colocou o país sob escrutínio para o que considera um ataque ao Estado de direito pela legislação que rege a nomeação e a regularização do poder judicial.

A mais votada, com cerca de 450 mil votos, foi a ex-primeira-ministra Beata Szydlo, lembrada por lançar o programa Lei e Justiça de benefícios para famílias numerosas em 2016.

A vitória do partido governista sinaliza uma remodelação do governo nas próximas semanas. Alguns ministros atuais ganharam continuarão com os cargos.

Kucharczyk também elogiou o líder da oposição Grzegorz Schetyna por formar a Coalizão Europeia de partidos de centro-esquerda que obteve cerca de 38% dos votos e é a única força política capaz de competir contra a Lei e a Justiça nas eleições parlamentares nacionais.

A forte demonstração para a oposição é onde as políticas da Polônia diferem das da Hungria, onde o partido anti-migrante Fidesz do primeiro-ministro Viktor Orban dominava por larga margem.

A Polônia tem 52 assentos no Parlamento Europeu com 751 assentos, dos quais Lei e Justiça terão pelo menos 24 e a oposição de Schetna cerca de 22. 


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

O Conexão Política é um portal de notícias independente — compromissado em transmitir os fatos. Analisamos e cobrimos os principais assuntos da política. Contribua: apoia.se/conexaopolitica

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites