Redes Sociais

Nigéria

Massacre na Nigéria: 30 mortos e grande número de mulheres e crianças sequestradas

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: AFP

Pelo menos 30 pessoas, incluindo uma mulher grávida, foram mortas em um ataque terrorista na noite de domingo (9) na cidade de Auno, estado de Borno, na Nigéria. O ataque ocorreu por volta das 22h, quando os terroristas entraram na cidade e incendiaram dezenas de veículos e pessoas dormindo.

Muitos desses veículos e pessoas pareciam estar viajando para a capital do estado, Maiduguri, trazendo suprimentos e alimentos. Eles pararam a cerca de 20 km na cidade de Auno durante a noite, pois não é seguro viajar à noite no norte da Nigéria.

Segundo as autoridades, os terroristas estavam dirigindo caminhões carregando armas pesadas.

Os moradores disseram que encontraram muitos dos corpos caídos no chão ao lado de seus veículos.

Testemunhas disseram que pelo menos 30 veículos foram incendiados. Isso incluía caminhões que pararam para passar a noite. Muitos motoristas e funcionários dormiam em seus veículos e foram queimados vivos.

Segundo testemunhas, três ônibus com mulheres e crianças foram levados.

“Não sabemos exatamente quantas mulheres e crianças estão envolvidas, mas o número é enorme”, conclui uma das testemunhas.

Ainda não está claro quem está por trás do ataque. Organizações terroristas islâmicas como o Boko Haram são ativas na área.

Embora o Boko Haram ainda não tenha assumido a responsabilidade por este ataque, é provável que sejam eles. Eles usaram métodos semelhantes no passado para garantir que as áreas permanecessem desestabilizadas. Eles também costumam roubar comida e suprimentos antes de queimá-los, para que possam ter o que precisam para continuar sua insurgência.

Não está claro por que essa cidade foi especificamente alvo desse ataque. Também não foram divulgadas informações demográficas sobre os mortos durante o ataque.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites