Redes Sociais

Mundo

Líderes conservadores, vitoriosos e românticos; o que mais eles têm em comum?

Brasil e Israel nunca estiveram tão próximos.

Thaís Garcia

Publicado

em

Reprodução | Twitter

O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, mostraram que além de compartilharem a vitória da direita nas eleições; ambos são conservadores, homens de fé, valorizam a família e quebram o protocolo para demonstrar o amor pelas belas esposas.

Os eleitores de Bolsonaro comemoraram com: “Mito, mito”.

Os eleitores de Netanyahu comemoraram com: “Bibi, o rei de Israel”.

Ambos prometeram governar com uma política conservadora nos valores e princípios, mas liberal na economia.

Ambos foram vítimas de “fake news” e de uma mídia esquerdista que promoveu um caça às bruxas.

Ambos declararam que seu governo é de direita, mas que governarão para todos os cidadãos.

Um governa a “Terra Prometida” e o outro governa a “Terra da Promessa”.

Muitas são as afinidades do presidente Bolsonaro com o primeiro-ministro Netanyahu.

Esta aproximação dos líderes é louvável e trará muitos benefícios ao Brasil.

Eleições Israelenses

Os resultados das eleições dão a Netanyahu a vitória para formar um novo governo.

O Likud, seu partido de direita, disputou as eleições com o partido de esquerda Kahol Lavan (Azul e Branco), do rival Benny Gantz. Como previsto em algumas pesquisas, a esquerda não superaria o Likud.

A certeza não veio até ontem à tarde, depois de contar os últimos votos.

Likud conseguiu 36 assentos e Kahol Lavan 35. O Likud poderá formar uma coalizão majoritária com seus aliados de direita.

Juntos, eles têm 66 dos 120 assentos no Knesset, o parlamento.

Com a sua vitória, Benjamin Netanyahu, mais uma vez conseguiu driblar a caça às bruxas políticas e as acusações por corrupção, fraude e abuso de poder.

Na verdade, como Netanyahu mesmo declarou, esta “caça” lhe deu mais energia.

Em breve, Netanyahu poderá iniciar seu quinto mandato como primeiro-ministro. Ainda este ano, ele pode se tornar o primeiro-ministro mais antigo na história de Israel, um feito que está nas mãos do “pai do país”, o falecido David Ben-Gurion, fundador do Estado judeu.

O novo governo terá que esperar mais algumas semanas.

Depois de consultar todas as partes, o Presidente Reuven Rivlin nomeia um formador.

Netanyahu prometeu que vai continuar sua política conservadora.

“Será um governo de direita, mas eu serei o primeiro-ministro para todos. Para direita, esquerda, judeus e não-judeus. Para todos os cidadãos de Israel”, disse Netanyahu em uma primeira declaração à imprensa.

Frutos da Amizade

A amizade e a afinidade entre os líderes foram nitidamente vistas durante a posse do presidente Bolsonaro, em janeiro; na qual o casal Netanyahu fez questão de estar presente.

Esta presença transmitiu o desejo de Israel, em estreitar as relações com o Brasil.

Destas relações, já pudemos ver o Brasil e Israel firmarem 6 acordos de cooperação, nas áreas de ciência e tecnologia, segurança pública, defesa e serviços aéreos.

A busca do Brasil por aliados conservadores como os EUA e Israel, grandes potências mundiais, com tecnologia de ponta e excelente defesa militar, trouxe alegria e a aprovação dos eleitores do presidente Bolsonaro.

O Brasil comemora a vitória de Benjamin Netanyahu, pois a continuidade dele no governo, permitirá que a amizade e as relações entre Brasil e Israel continuem.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites