Redes Sociais

Itália

Idosa italiana (95) se recupera totalmente do vírus chinês

Thaís Garcia

Publicado

em

Idosa italiana (95) se recupera totalmente do vírus chinês 16
Imagem: Reprodução

Uma idosa italiana que foi infectada com o vírus chinês no início de março, foi declarada curada nesse fim de semana passado. Alma Clara Corsini, 95 anos, de Fanano, um município da província italiana de Modena, no norte da Itália, é a segunda pessoa mais velha do mundo a se recuperar do vírus chinês.

A primeira pessoa mais velha a se curar do vírus chinês foi uma mulher de 103 anos, de acordo com o jornal britânico The Independent. Zhang Guangfen ficou em tratamento por 6 dias em um hospital de Wuhan, na China, e foi liberada para voltar para casa.

A idosa Alma foi hospitalizada em 5 de março com sintomas graves de gripe, indicativos do vírus chinês em constante avanço. As perspectivas não eram favoráveis, mas com o passar dos dias, Alma começou a se sentir melhor.

“Eu me sinto bem”, disse Alma à Gazetta Di Modena.

Na sexta-feira (20), Alma foi autorizada a ir para casa. A italiana lutou por sua vida no hospital.

“Boas pessoas cuidaram de mim”, disse Corsini.

Segundo a equipe médica, a mulher se recuperará totalmente da doença. Alma não precisou de tratamento antiviral.

“O corpo dela respondeu maravilhosamente”, disseram os médicos ao jornal local Gazzetta di Modena. Eles veem a idosa como “o orgulho do hospital”, como “um ponto brilhante nos tempos sombrios”.

Cuidados intensivos

Até o fechamento da matéria, o número de mortes por coronavírus chinês na Itália é de 5.476 e o número total de casos confirmados do vírus 59.138. Dos infectados originalmente, 7.024 se recuperaram e 3.009 pessoas estão em terapia intensiva.

A situação na região mais afetada da Lombardia, norte da Itália, continua crítica, com 3.456 mortes e 27.206 casos de infecção no domingo, contra 3.095 e 25.515 no dia anterior.

Medicina experimental

No início desta semana, foi anunciado que um homem de 97 anos foi curado do coronavírus chinês. Depois de duas semanas no hospital, ele foi autorizado a voltar para casa. Ele se recuperou graças a uma droga experimental contra o Ebola.

Em um esforço para conter ainda mais a propagação do vírus, a Lombardia – a região mais atingida da Itália – até proibiu todas as atividades ao ar livre, incluindo caminhadas, corridas e ciclismo. Quem violar as novas regras arrisca uma multa de até 5.000 euros.

Quase 100.200 pacientes foram declarados curados em todo o mundo. No total, cerca de 350.000 pessoas foram infectadas com o vírus chinês e 15.308 morreram.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

alan correa criação de sites