Redes Sociais

Israel

“Brasil mudará embaixada para Jerusalém”, diz Eduardo Bolsonaro em abertura de escritório brasileiro de negócios na capital de Israel

Thaís Garcia

Publicado

em

“Brasil mudará embaixada para Jerusalém”, diz Eduardo Bolsonaro em abertura de escritório brasileiro de negócios na capital de Israel 15
Imagem: Eduardo Bolsonaro/ Twitter

Neste domingo (15), durante a abertura do escritório brasileiro de negócios na capital de Israel, o deputado federal e presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, Eduardo Bolsonaro, disse que a mudança da embaixada brasileira para Jerusalém será ‘algo natural e normal’.

“Como meu pai diz, a Embaixada do Brasil se mudará para Jerusalém. Não é algo extraordinário. Deveria ser algo natural e normal”, disse Eduardo Bolsonaro, durante a cerimônia que marcou a abertura do escritório de comércio brasileiro em Jerusalém, segundo o Jerusalem Post.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, em seu discurso na abertura do escritório, elogiou o relacionamento de seu país com o Brasil, dizendo que “não temos melhores amigos que o povo e o governo do Brasil”.

Apex
O escritório de negócios da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), que está sob os auspícios do Ministério das Relações Exteriores, não possui status diplomático. Ele está situado no parque tecnológico Har Hotzvim, em Jerusalém.

Segundo o parlamentar e filho do presidente Jair Bolsonaro, a abertura do escritório trata-se do primeiro passo para a transferência da embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém.

No Twitter, Eduardo Bolsonaro comentou sobre a inauguração do escritório de negócios em Jerusalém.

“No caminho de volta para o Brasil fiz questão de parar por 10 horas em Israel para ter a honra de discursar hoje na inauguração do escritório de negócios da Apex Brasil em Jerusalem. Trata-se do 1º passo para a transferência da embaixada e do projeto presidido pelo Alm. Segovia, presidente da APEX, para incremento das relações comerciais entre os dois países. Em Jerusalém quem responderá pelo escritório é a Sra. Camila Meyer.”

“Abri minha fala relembrando o destacado papel de Osvaldo Aranha para a criação de Israel. Falei um pouco da história de Israel, da conexão dos judeus com o território, auxiliado pelo Pastor Pedrão da CBRio; citei a Bíblia ao falar de Jerusalém; da vergonha de Dilma ter recusado, por motivos ideológicos, as credenciais do Embaixador Dani Dayan, indicado por Israel para o Brasil em 2016; sobre combate conjunto ao terrorismo; dos cristãos que querem a mudança da embaixada e apoiam nossos irmãos judeus do outro lado do mundo; e finalizei com a frase bíblica ‘quem abençoar Israel será abençoado e quem amaldiçoar será amaldiçoado'”.

Presidente Jair Bolsonaro
Na sexta-feira (13), o presidente Bolsonaro se referiu à iminente inauguração da missão comercial.

“Meu filho Eduardo está em Jerusalém com Benjamin Netanyahu. Estamos abrindo um escritório comercial da Apex em Jerusalém. Acreditamos em Deus e estamos procurando o melhor para o país”, informou o Jerusalem Post.

A família Bolsonaro é considerada uma ávida apoiadora de Israel, representando uma grande base cristã que tem uma forte opinião favorável ao Estado judeu.

O Brasil ainda não reconhece oficialmente Jerusalém como a capital de Israel.

No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro anunciou sua intenção de transferir a embaixada do Brasil, de Tel Aviv para Jerusalém. O reconhecimento de Jerusalém como capital israelense é uma promessa de campanha aos seus eleitores.

O presidente Jair Bolsonaro escreveu no final de 2018 em seu Twitter: “Israel é um Estado soberano e nós o respeitamos”, reiterando seu compromisso de campanha de transferir a embaixada para Jerusalém; sendo esta, a vontade do próprio país.

Benjamin Netanyahu disse durante a inauguração do escritório que o presidente Bolsonaro tem planos de transferir a embaixada do Brasil para Jerusalém no ano de 2020.

Posições internacionais
Até o momento, apenas dois países, Estados Unidos e Guatemala, transferiram suas respectivas embaixadas para Jerusalém.

Em 2017, o presidente dos EUA, Donald Trump, tornou-se o primeiro líder a anunciar a intenção de seu país de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu. E em maio de 2018, os EUA transferiram sua embaixada para Jerusalém.

A Guatemala seguiu os passos de Trump e transferiu também sua embaixada para Jerusalém.

Em junho de 2017, a República de Vanuatu, reconheceu Jerusalém como a capital de Israel. O presidente do país, Baldwin Lonsdale, emitiu o reconhecimento como resposta à resolução controvertida da UNESCO, aprovada em outubro de 2016, que minimizava a conexão judaica com o Monte do Templo, em Jerusalém.

Em dezembro de 2017, Taiwan, anunciou Jerusalém como a capital de Israel, mas ainda não tem planos de transferir seu escritório diplomático para a cidade.

Em março deste ano, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, recebeu o primeiro-ministro eslovaco, Peter Pellegrini, o primeiro-ministro checo Andrej Babis e o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbana, que anunciaram os planos da abertura de suas sedes com status diplomático, na capital israelense Jerusalém.

E em agosto, a República de Nauru, uma ilha no Pacífico, e Honduras reconheceram Jerusalém como a capital de Israel.

Em resoluções da ONU, parte da comunidade internacional sustentou que o estatuto final da cidade, só poderá ser estabelecido depois de um “acordo de paz” definitivo entre palestinos e israelenses, contrariando desta forma, a soberania do Estado de Israel.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

alan correa criação de sites