Redes Sociais

Holanda

Frequentadores de igreja fazem trabalho voluntário com mais frequência, diz pesquisa holandesa

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Facet Ridderkerk

Os frequentadores de igreja fazem trabalho voluntário com mais frequência e são mais ativos socialmente do que os que não frequentam uma igreja, concluiu o Escritório Central de Estatísticas (CBS), a partir de um estudo no período 2012-2017, divulgado nesta sexta-feira (12) na Holanda.

Aproximadamente 8 mil pessoas, com 15 anos de idade ou mais, foram entrevistadas durante o estudo.

Fé e Voluntariado
De todos os holandeses de 15 anos ou mais, 62,6% estavam ativos na vida comunitária pelo menos uma vez por mês, no período de 2012-2017 e 49,1% se voluntariaram pelo menos uma vez por ano, segundo o relatório de Religião e Coesão Social 2018 da CBS.

De acordo com esse relatório, os protestantes praticantes, em particular, muitas vezes estão comprometidos com o voluntariado e estão mais envolvidos politicamente.

Segundo a CBS, os membros da Igreja Protestante na Holanda (PKN) que frequentam regularmente um culto na igreja, são os mais ativos na sociedade, fazem trabalho voluntário com mais frequência, oferecem ajuda a outras pessoas mais cedo e são as mais politicamente ativas de todos os grupos populacionais.

Para os protestantes que frequentam regularmente a igreja, 90% têm contato com um membro da família pelo menos uma vez por semana, 44% oferecem ajuda a outras pessoas, 75% são ativas na comunidade, 48% voluntárias e 93% votam.
Esses números são muito menores para protestantes que não frequentam a igreja. Dos holandeses não religiosos, isso era menos da metade.

Também para os católicos romanos que frequentam regularmente uma missa, o envolvimento social é maior que a média: 61% eram ativos em uma associação, 58% faziam trabalho voluntário.

Motivos
O pesquisador do Gabinete de Planejamento Social e Cultural (SCP) da Holanda e professor universitário Joep de Hart, não está surpreso com os números da CBS.

Joep de Hart menciona que uma explicação aceitável para o resultado dos estudos é que a rede social dos cristãos é maior e por isso há também um maior envolvimento dos frequentadores da igreja no trabalho voluntário.

“Eles vão à igreja todos os domingos, falam uns com os outros, têm olhos uns para os outros e são convidados mais facilmente para uma tarefa na igreja.”

Voluntariado no mundo
Conforme o professor Dr. Lucas Meijs, da Universidade Erasmus de Rotterdam, que está cientificamente envolvido no voluntariado, o resultado do relatório também se aplica a todo o mundo.

“Isso não se aplica apenas à Holanda, mas a todo o mundo. Assim como um clube esportivo, uma igreja oferece uma estrutura normativa, dentro da qual o voluntariado é óbvio e às vezes quase obrigatório. Aqueles que pertencem a uma igreja são convidados a se voluntariar mais rapidamente, do que aqueles que não pertencem a ela”, disse Lucas Meijs.

Secularização
A secularização acabará por levar a uma diminuição na disposição de ser voluntário? De acordo com o professor Lucas Meijs, espera-se que não.

“A disposição dos holandeses para o trabalho voluntário não diminuirá. A única questão é: Onde posso encontrar os voluntários que preciso? Uma comunidade religiosa forma uma rede social claramente visível, dentro da qual as pessoas se conhecem e confiam umas nas outras e rapidamente pedirão umas às outras tarefas. Há certamente outras redes sociais, mas elas são mais difíceis de rastrear do que as comunidades religiosas ”, concluiu o professor.

fonte: RD


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites
2r1cl5phksggddln